DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Educação >
Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências (PPGEFHC) >
Teses de Doutorado (PPGEFHC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32352

Title: Por uma aprendizagem transformativa: contribuições de uma investigação conceitual para uma educação em ciências crítica e reconstrutiva.
Authors: Santos, Vanessa Carvalho dos
???metadata.dc.contributor.advisor???: El-Hani, Charbel Niño
Keywords: Aprendizagem transformativa;Educação ativista em ciências;Investigação conceitual;Filosofia da educação em ciências;Participacionismo;Ciência - aspectos sociais - estudo e ensino;Aprendizagem ativa;Investigação filosófica;Análise conceitual;Ciência - filosofia - estudo e ensino;Transformative learning;Activist science education;Conceptual investigation;Philosophy of science education;Participationism
Issue Date: 23-Oct-2020
Abstract: Este trabalho tem como objetivo central discutir o que significa examinar como uma questão conceitual o problema da teorização da aprendizagem transformativa (i.e., aprendizagem para transformação social) na educação crítica e reconstrutiva (ativista) em ciências. Para tanto, recorre ao modelo de análise sociológica e filosófica proposto no campo da teoria social pelo sociólogo Frédéric Vandenberghe. Esse esquema possibilita a análise integrada da metateoria, da teoria social e da teoria sociológica e, transposto para o contexto da pesquisa em educação ativista em ciências, aponta na direção da interface entre esse domínio intelectual e a filosofia, uma região de fronteira que pode ser entendida como uma filosofia da educação em ciências, uma área em que pesquisadores da educação em ciências se debruçam sobre seus pressupostos em diálogo com filósofos. Inicialmente, o trabalho explora, no contexto da pesquisa em educação ativista em ciências, desafios conceituais relativos à aprendizagem transformativa e a relevância da forma de investigação conceitual associada à sociologia de Vandenberghe para abordar esses desafios. As abordagens socioculturais da educação em ciências que visam a algum tipo de letramento científico para uma cidadania eticamente e politicamente engajada e socialmente e ambientalmente responsável convergem na tese de que toda crítica da forma de enculturação nas ciências deve ser feita à luz de uma crítica da ciência e da sociedade. Esse posicionamento crítico amplo é preconizado dentro de perspectivas e agendas reconstrutivas, que buscam a reimaginação e a reconstituição da educação e da ciência com aspirações a mudanças sociais profundas. O acento sobre a reconstrução (além da crítica) acarreta orientar a educação em ciências em direção à ação sociopolítica. Cada uma à sua maneira, propostas curriculares e pedagógicas com esse viés desaguam numa noção de uma transformação em atitudes, valores comportamentos, crenças e ações, que se incorpora à aprendizagem. Porém, ainda faltam elaborações teóricas sobre a aprendizagem transformativa e há pouca clareza quanto aos significados dos conceitos e aos princípios em termos dos quais pesquisadores e praticantes da educação em ciências ativista especificam sua compreensão sobre a natureza dessa aprendizagem. Com base no modelo proposto por Vandenberghe, foi feita uma análise preliminar da aprendizagem transformativa no quadro teórico participacionista – que focaliza a participação em práticas sociais – adotado por Troy Sadler e Derek Hodson. Em síntese, esta tese defende que a investigação conceitual do que vem a ser uma teoria de aprendizagem transformativa na educação ativista em ciências pode assumir a forma de metateoria e coadunar com os objetivos e as metodologias inerentes à pesquisa em educação em ciências, que, dessa maneira, vem a dar continuidade, por outros meios, à tradição filosófica da análise conceitual. Dentre os sentidos mais específicos de metateoria, são destacados o de dispositivo de mapeamento e o de propedêutica para teorização substantiva.
ABSTRACT The main objective of this paper is to discuss what it means to examine as a conceptual issue the problem of theorizing transformative learning (i.e., learning for social transformation) in critical and reconstructive (activist) science education. For that, it uses the sociological and philosophical analysis model proposed in the field of social theory by the sociologist Frédéric Vandenberghe. This scheme allows the integrated analysis of meta-theory, social theory and sociological theory and, transposed to the context of research of activist science education, it points towards the interface between this intellectual domain and philosophy, a frontier region that can be understood as a philosophy of science education, an area in which science education researchers address their assumptions in dialogue with philosophers. Initially, this work explores, in the context of research of activist science education, conceptual challenges related to transformative learning and the relevance of the form of conceptual investigation associated with Vandenberghe's sociology to address these challenges. Sociocultural approaches to science education that aim toward some kind of scientific literacy for an ethically and politically engaged and socioenvironmentally responsible citizenship converge on the thesis that every critique of the form of enculturation in science must be made in the light of a critique of science and society. Such broad critical stance is envisioned within reconstructive perspectives and agendas which seek to reimagine and reconstitute education and science with aspirations of deep-rooted social change. The emphasis on reconstruction (beyond critique) entails orient science education towards sociopolitical action. Each in its own way, the curricular and pedagogical proposals with this bias culminate in the notion of a transformation in attitudes, behaviors, values, beliefs and actions that is incorporated into learning. However, there is a lack of theoretical elaborations on transformative learning. In addition, there are little clarity and confusion about the concepts and principles in terms of which researchers and practitioners of activist science education spell out their understanding of such learning. Based on the model proposed by Vandenberghe, a preliminary analysis of transformative learning was made in the participationist theoretical framework – which focuses on participation in social practices - adopted by Troy Sadler and Derek Hodson. In summary, this thesis argues that the conceptual investigation of what turns out to be a transformative learning theory in activist science education can take the form of meta-theory and be consistent with the objectives and methodologies inherent to science education research, which, in this way, continues, by other means, the philosophical tradition of conceptual analysis. Among the more specific meanings of meta-theory, the mapping device and the propaedeutic for substantive theorizing are highlighted.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32352
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGEFHC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese_Vanessa C Santos_vf_repositório.pdf1.44 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA