DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Educação >
Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) >
Dissertações de Mestrado (PPGE) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25597

Title: O aluno com osteogênese imperfeita: inclusão escolar em questão
Authors: Magnavita, Mariam Jalal
???metadata.dc.contributor.advisor???: Miranda, Theresinha Guimarães
Keywords: Educação inclusiva;Osteogênese imperfeita;Inclusão escolar;Deficiência física;Educação especial;Inclusive education;Osteogenesis imperfect;School inclusion;Physical disability;Special education
Issue Date: 26-Mar-2018
Abstract: A inclusão escolar de alunos com deficiência é um dos elementos chave da atual política de educação inclusiva brasileira, assim, é cada vez maior o número desses alunos na escola regular. Entretanto, muitas vezes, a escola não dispõe dos meios adequados para oferecer a esse alunado uma educação de qualidade. É neste con-texto que alunos com osteogênese imperfeita (OI) são incluídos na escola regular. A OI é uma doença rara que tem como principal característica a fragilidade óssea. Alunos com esta patologia desenvolvem deficiência física, necessitam de cuidados constantes para evitar a ocorrência de fraturas e de tratamento médico regular, o que os afastam da escola periodicamente, podendo passar longos meses sem fre-quentar as aulas para tratar das fraturas recorrentes ou de complicações da doença. Assim, estudantes com OI necessitam dos recursos e apoios oferecidos pela Educa-ção Especial. Diante disso, este estudo teve como objetivo precípuo analisar o pro-cesso de inclusão escolar de alunos com OI que realizam o tratamento para a doen-ça em um hospital universitário localizado no município de Salvador, no Estado da Bahia. Para tanto, foi empreendida uma pesquisa de caráter qualitativo constituída de um estudo de caso realizado com 5 adolescentes com OI e suas mães, totalizan-do 10 participantes de pesquisa. Para coletar os dados foram utilizados 3 instrumen-tos: a entrevista estruturada, a entrevista semiestrururada e a análise documental. A análise dos dados foi realizada segundo o método de análise de conteúdo descrito por Bardin (2011). Os resultados revelaram que os alunos com osteogênese imper-feita não encontram na escola regular todas as condições necessárias para sua ple-na participação nas atividades de ensino-aprendizagem, pois há falta de acessibili-dade nas escolas desses estudantes, assim como existem barreiras pedagógicas e atitudinais que interferem em seu processo de inclusão escolar. A pesquisa revelou, ainda, que as iniciativas das escolas para diminuir as consequências das interrup-ções na frequência escolar desses educandos ou não existem ou se mostram insuficientes para contribuir de maneira efetiva para seu retorno à escola.
ABSTRACT The school inclusion of students with disabilities is one of the key elements of the current policy of inclusive Brazilian education, thus, the number of these students in the regular school is increasing. However, it is common that the school does not have the appropriate means to offer this student a quality education. It is in this con-text that students with osteogenesis imperfecta (OI) are included in the regular school. The OI is a rare disease that has bone fragility as its main characteristic. Stu-dents with this pathology develop a physical deficiency in a progressive way, they need constant care to avoid the occurrence of fractures and periodic medical treat-ment, which deviate them from school periodically, and they can spend many months without attending classes to treat recurrent fractures or complications of the disease. Thus students with osteogenesis imperfecta need the resources and support offered by Special Education. Therefore, this study aimed to analyze the process of school inclusion of students with OI who makes the treatment for the disease in a university hospital located in Salvador city, State of Bahia. For that, a qualitative research was carried out, constituted in a case study carried out with 5 adolescents with OI and their mothers, totaling 10 research participants. Three instruments were used to col-lect the data, the structured interview, the semi-structured interview and the docu-mentary analysis. Data analysis was performed according to the content analysis method described by Bardin (2011). The results showed that students with osteo-genesis imperfecta do not find in the regular school all the necessary conditions for their full participation in teaching-learning activities, since there is a lack of accessibil-ity in the schools of these students, as well as there are pedagogical and attitudinal barriers that interfere in their process of school inclusion. The research also revealed that the initiatives of schools to reduce the consequences of interruptions in the school attendance of these students do not exist or are insufficient to contribute ef-fectively to their return to school.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25597
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGE)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
disst_mariam (1).pdf2.07 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA