DSpace

RI UFBA >
Instituto de Letras >
Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLINC) >
Dissertações de Mestrado (PPGLINC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8584

Title: Yes, nós temos chiclete com banana e BA-VI não é football: o diálogo intercultural nas aulas de inglês como língua franca (ILF)
Authors: Santos, Kelly Barros
???metadata.dc.contributor.advisor???: Siqueira, Domingos Sávio Pimentel
Keywords: Língua inglesa;Estudo e ensino;Falantes de português;Cultura
Issue Date: 20-Feb-2013
Abstract: Desconstruir o pensamento de que há uma cultura hegemônica que viabiliza o acesso a uma língua estrangeira é um dos objetivos desse trabalho, já que esse conceito não contempla o status do inglês como língua franca (ILF) localizado dentro de uma sociedade multiétnica, constituída de uma imensa variedade cultural (SOUZA; FLEURI, 2003). Devido a essa configuração, os princípios de um diálogo intercultural parecem abranger a diversidade cultural que é pertinente ao ILF, uma vez que as práticas pedagógicas, dentro de tal contexto, estarão voltadas para uma comunicação global e sem fronteiras, preservando, acima de tudo, a identidade dos indivíduos. Sob essa ótica, a pesquisa irá tratar de um sujeito local que detém um inventário cultural muito significativo de maneira que os próprios signos não concorrem com os produtos de importação. Portanto, parte-se do pressuposto que é importante considerar a cultura local como um ponto de partida em direção ao diálogo, lembrando que a intenção não é privilegiar cultura alguma, mas estabelecer o diálogo intercultural entre elas, como enfatiza Mendes (2008). O grupo de informantes constou de 3 (três) professores de inglês selecionados em três segmentos educacionais: um curso livre, uma escola pública e uma escola particular. Os dados foram coletados a partir de dois questionários (Questionários I e II) que abordaram as questões culturais (locais) associadas ao ensino de inglês como língua franca e a posição do professor à respeito dessa relação e, além desses instrumentos, apoiamos nossas considerações nos registros etnográficos da 3ª e 8ª aulas de cada professor, num total de 8 (oito) assistidas de cada um. Os resultados e as constatações mostram-se úteis e relevantes não só para a discussão de implicações metodológicas inerentes ao ensino de inglês como língua franca na atualidade, como também para a reflexão sobre quais as maneiras e formas os aspectos culturais devem ser abordados por um professor que se propõe a ser um mediador cultural em um mundo cada vez mais globalizado.
Description: 172 f.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8584
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGLINC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Kelly Barros Santos.pdf2.16 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA