DSpace

RI UFBA >
Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos - IHAC >
Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais - PPGRI >
Dissertações de Mestrado (PPGRI) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31496

Title: Institucionalização de negociações internacionais no estado da Bahia: a ação do Banco Mundial na transição de ordem internacional
Authors: Souza, Claudia Maria Ferreira
???metadata.dc.contributor.advisor???: Kraychete, Elsa Sousa
Keywords: Paradiplomacia;Banco Mundial;Bahia;Desenvolvimento econõmico;Neocorporativismo;Diplomacia
Issue Date: 28-Feb-2020
Abstract: A institucionalização das negociações internacionais no estado da Bahia ocorreu durante as décadas de 1970-1980 sob a ótica neocorporativa das lutas de classes, a partir da ação de um tripé de atores: a Bahia, o Brasil e o Banco Mundial. O processo decorre da interpenetração de fatores internos e externos no aparelho estatal sob a égide da nova ordem internacional neoliberal que criou novas institucionalidades nos países em desenvolvimento por meio dos organismos internacionais, em especial o Banco Mundial. O agenciamento primitivo das relações externas na Bahia nasce sob o pano de fundo da modernização conservadora no setor rural. Essa, balizada internamente pelo II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND) e pelos interesses classistas dominantes vinculados ao capital externo, e externamente pelo discurso de erradicação da pobreza nos projetos de desenvolvimento rural integrado do Banco Mundial. As reformas institucionais de fortalecimento da máquina pública via planejamento econômico gestadas no país a partir do governo Vargas, e na Bahia sob a liderança de Rômulo Almeida, proveram o perfil tecnocrático racional requisitado do Banco como parte da estratégia de inserção subjetiva (ideológica) via assistência técnica e organizacional. A expansão da descentralização federativa, marcada na Constituição federal de 1988, compõe o último elemento do processo de agenciamento da Bahia para as relações externas, que ocorreu em uma perspectiva federativa e horizontal (funcional), não importando uma autonomia de fato.
The institutionalization of international negotiations in the state of Bahia took place during the decades of 1970-1980 under the neo-corporate perspective of class struggles, from the action of a tripod of actors: Bahia, Brazil and the World Bank. The process stems from the interpenetration of internal and external factors in the state apparatus under the aegis of the new neoliberal international order that created new institutions in developing countries through international organizations, particularly the World Bank. The early agency of external relations in Bahia is born in the background of the conservative modernization in the rural sector. This was internally marked by the II National Development Plan (II NDP) and by the dominant class interests linked to external capital, and externally through the discourse on poverty eradication in the World Bank‘s integrated rural development projects. The institutional reforms of strengthening the public machine via economic planning gestated in the country from the Vargas government, and in Bahia under the leadership of Romulus Almeida, provided the rational technocratic profile requested from the Bank as part of the subjective (ideological) insertion strategy via technical and organizational assistance. The Federative decentralization expansion, marked in the Federal Constitution of 1988, composes the last element of the agency process of Bahia for external relations, which occurred in a Federative and horizontal perspective (functional) no matter how autonomous.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31496
ISSN: Dissertação
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGRI)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação Claudia M. Ferreira Souza Versão Final Digital.pdf1.76 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA