DSpace

RI UFBA >
Escola de Dança >
Programa de Pós-Graduação em Dança (PPGDANCA) >
Dissertações de Mestrado (PPGDANCA) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29960

Title: DANÇA, VIOLÊNCIA E POÉTICA: O CORPO REBELDE DE ESTÁNAMIRA MARRUÁ DAS DORES
Authors: Ferreira, Sílvia Monique Rodrigues
???metadata.dc.contributor.advisor???: Machado, Lara Rodrigues
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Oliveira, Eduardo
Keywords: Processo criativo;Pesquisa de campo;Memória;Discurso corporal;Corpos insurgentes.;Dança
Issue Date: 27-Jun-2019
Abstract: O presente trabalho descreve os estudos desenvolvidos em processos criativos em dança com base na proposta metodológica “O Jogo da Construção Poética”. Trata-se de uma investigação artística que também contempla pesquisas de campo e leituras bibliográficas, com vistas a abordar cenicamente as experiências humanas a partir do questionamento de seus limites de normalidade. Entre pesquisa de campo, laboratórios dirigidos e composição coreográfica, a prática do jogo e da dança na cena fomenta o próprio jogo entre os corpos, partindo de uma memória cultural e corporal que é trabalhada e recriada pela referência de cada um/a dos/as envolvidos/as. Os resultados dessa pesquisa artística estão se desenvolvendo no trabalho corporal de uma personagem chamada “EstáNaMira Marruá das Dores”, inspirada na Dona Estamira, uma mulher real que se tornou protagonista de documentário de mesmo nome, dirigido por Marcos Prado: “Estamira” (2004). Poética, profética, sexagenária e catadora de lixo, Estamira inspirou a necessidade de reverenciar minha própria história, bem como a de minhas ancestrais femininas. Relaciono meus caminhos ao dessa mulher, numa linha tênue entre violência e poética. Nela exaltam-se corpos rebeldes e insurgentes que, ultrapassando os limites da aceitação, são considerados esquisitos e divergentes. Nesse mundo de exclusão e de abandono, EstáNaMira carrega as marcas de sua não “ocupância” no mundo, sendo um “corpo denúncia” de todas as formas de eliminação da/o outra/o, como o genocídio, o epistemicídio, o semiocídio, o feminicídio e o etnocídio. Como conclusão não conclusa, a pesquisa revela que o Jogo da Construção Poética cria oportunidades para uma investigação artística que, ao valorizar as subjetividades, a ancestralidade e a alteridade, estabelece relações não apenas entre a/o artista e suas histórias, mas também tematiza nosso lugar no mundo, problematizando através de um discurso corporal, a maneira como somos incluídas/os e classificadas/os numa sociedade amplamente normatizada.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29960
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGDANCA)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação Sílvia Monique.pdf5.46 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA