DSpace

RI UFBA >
Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos - IHAC >
Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais - PPGRI >
Dissertações de Mestrado (PPGRI) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26960

Title: "Girls, Who Run This Motha?" Feminismos em processos de concertação internacional
Authors: Cerqueira do Carmo, Jhader
???metadata.dc.contributor.advisor???: Maurício Cavalcanti de Aragão, Daniel
Keywords: Gênero;Governança Global;Identidade
Issue Date: 15-Aug-2018
Abstract: Há uma série de significados em torno do verbete feminismo; não obstante, uma forma convergente de compreendê-lo, tomando-se por base estudos internacionais, se vincula à percepção do feminismo como um campo político de práticas discursivas, interagindo entre si em multifacetadas e, por vezes, paradoxais dinâmicas de poder. Esta dissertação buscou analisar essas inter-relações, tendo como objeto de investigação a governança global dos direitos humanos das mulheres. Assim, seu objetivo foi o de captar em tal sistema de governança as tensões dos processos construídos historicamente, com foco nos de concertação internacional diante da diversidade de feminismos. Sua metodologia se desenvolveu em moldes exploratório e descritivo de pesquisa bibliográfica, buscando revisitar criticamente histórias e documentos oficiais, e, sobretudo, permitindo a enunciação de narrativas de mulheres marginalizadas e silenciadas ao largo da historiografia. Ademais de atentou-se em momentos preparatórios e eventos paralelos das conferências das Nações Unidas. Os resultados da pesquisa remetem ao patriarcado como intrínseco à conjuntura internacional – capitalista e neoliberal, o qual imputou-a instituições sociais para possibilitar, a priori, o homem subjugando a mulher e, mais contemporaneamente, num intento racional de sobreviver e perpetuar-se ainda mais, estabelecendo relações de poder e gênero entre as próprias mulheres. Tomando esse pressuposto, pode-se observar que a retrospectiva política do coletivo de mulheres em interação com organismos internacionais revela esse tipo de contexto; por exemplo, nas grandes Conferências das Nações Unidas sobre as Mulheres (1975-1995), houve um cenário de conflitos, em razão de se haver permitido ali, ao menos formalmente, uma multiplicidade de vozes, agentes e identidades. Contudo, já em seus últimos processos políticos, a estrutura patriarcal, apropriando-se de códigos discursivos de um feminismo liberal e de sua preponderância no campo feminista, pressionou as mulheres ao pacto global, o que sustentou uma ideia falaciosa e contingente de solidariedade e feminismo internacional – mais evocados nos eventos de Cairo, 1994 e Pequim, 1995. Essa dissertação intencionou a discorrer complexidades e controvérsias em tais empreendimentos, revelando assim, a existência de projetos com lógicas de poder e hegemonia em um espaço de negociação e tomada de decisão, fomentado como espaço de deliberação democrática.
There are several meanings around feminism; nevertheless, a key concept in order to understand it, based on international studies, joins to a vision of conceiving it as a political field with discursive practices interacting among themselves in multifarious, and often, paradoxical power dynamics. This dissertation sought to analyze these inter-relations, having as its object the global governance of women’s human rights. Thus, it aimed to capture tensions in that system, taking into account historical processes, focusing on international consultation and feminisms in diversity. Its methodology was an exploratory and descriptive scientific research, seeking to revisit official stories and documents critically and, chiefly, allowing the enunciation of marginalized and silenced narratives from women in such historiography, besides paying attention to preparatory moments and side-events. Its results channel patriarchy as an intrinsic characteristic of the international system – also capitalist and neoliberal, which poured out on it social institutions, a priori, to enable men subjugating women, and more contemporaneously, in a rational attempt to survive and perpetuate itself even more, to endow power and gender relations between women themselves. Acquiring this assumption, it is possible to infer the political retrospective of women’s movement and international organizations reveals this context; for instance, at the United Nations Global Conferences on Women (1975-1995), there was a conflictive scenario, both at micro and macro spheres, for a multiplicity of voices, agents and identities was permitted, at least formally. However, in those final political processes, the patriarchal structure, appropriating discursive core codes of a liberal feminism and its preponderance in the feminist field, pressed women to a global pact, which sustained a fallacious and contingent idea of international solidarity and feminism – mainly raise up in Cairo, 1994 and Beijing, 1995. As such, this dissertation intended to elucidate complexities and controversies in those moments, and it revealed projects with logics of power and hegemony in a space of international negotiations and decision-making process, though romanticized as one of democratic deliberation.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26960
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGRI)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação - Jhader Cerqueira do Carmo.pdf1.25 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA