DSpace

RI UFBA >
Instituto de Saúde Coletiva - ISC >
Teses de Doutorado (ISC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26706

Title: Estigma e vulnerabilidade ao HIV/aids entre travestis e mulheres transexuais.
Authors: Sousa, Laio Magno Santos de
???metadata.dc.contributor.advisor???: Dourado, Maria Inês Costa
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Silva, Luís Augusto Vasconcelos da
Keywords: Vulnerabilidade Social;HIV/AIDS;Travesti;Mulher Transexual;Estigma
Issue Date: 26-Jul-2018
Abstract: Introdução: Os dados sobre a magnitude do HIV/aids entre as mulheres transgênero mostram que a epidemia é muito desproporcional entre elas, quando comparamos com os dados da população geral. O estigma e a discriminação, por conta da expressão de gênero, têm sido comumente associados a uma vulnerabilidade elevada destas mulheres ao HIV/aids. Desse modo, através deste estudo, pretendemos responder a seguinte pergunta de investigação: o estigma e a discriminação relacionados à performance de gênero estão associados à vulnerabilidade desta população ao HIV? Objetivo: Investigar a associação entre o estigma e a discriminação relacionados à performance de gênero e a vulnerabilidade desta população ao HIV. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa com uso de métodos mistos. Os dados quantitativos foram provenientes de um inquérito epidemiológico de corte transversal, realizado entre 2014 e 2016 com 127 TrMT em Salvador-Bahia-Brasil. Foi utilizada a amostragem dirigida pelo participante (RDS) para recrutamento da população de estudo. O estudo qualitativo foi realizado a partir de 19 entrevistas em profundidade. Resultados: Os dados do nosso estudo confirmam a hipótese de associação entre discriminação relacionada à identidade de gênero e o sexo anal desprotegido receptivo na rede amostrada de TrMT. Os dados permitem destacar que os efeitos do estigma, como a violência, a discriminação e a transfobia, relacionados à identidade de gênero, são elementos estruturantes do processo de vulnerabilidade desta população ao HIV/aids. Além disso, nosso estudo mostra que a distinção da performance de gênero das TrMT é um dos elementos essenciais do processo de estigmatização desta população. Observou-se que o processo de estigmatização é operado por meio do poder exercido pelas leis da heterossexualidade compulsória sobre os corpos trans. Conclusão: os dados indicam a necessidade de construção de políticas públicas de proteção à integridade moral e física desta população, considerando o estigma e a discriminação não apenas como um efeito da sociedade patriarcal heteronormativa, mas também como produtor de desfechos negativos em saúde, como o HIV/aids.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26706
Appears in Collections:Teses de Doutorado (ISC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese Laio Magno Sousa. 2017.pdf1.99 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA