DSpace

RI UFBA >
Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos - IHAC >
Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (Poscultura) >
Teses de Doutorado (Poscultura) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/19213

Title: Conversações sobre a cidade: ideais de espaço urbano, cidadania e bem comum
Authors: Rocha, Maria Célia Furtado
???metadata.dc.contributor.advisor???: Souza, Elisabeth Regina Loiola da Cruz
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Murgante, Beniamino
Keywords: Participação Pública;Redes Sociais On-line;Redes Semânticas
Issue Date: 18-May-2016
Abstract: A pesquisa revela visões do espaço urbano tomado enquanto bem comum, e as ações destinadas a defendê-lo, assumidas por grupos voluntariamente organizados em redes mediadas pela Internet e por redes de comunicação móvel. Através de mídias sociais, eles criam/adotam causas em favor do livre acesso e do uso de áreas da cidade. Dessa maneira, participam da vida civil e expõem seus ideais de democracia e de participação; inscrevem práticas de cidadania na esfera pública que vêm amplificar movimentos coletivos de resistência à captura da cidade unicamente em favor de interesses privados. Examinaram-se conversações travadas em páginas Facebook de dois grupos italianos (Parco del Basento e Il Giardino in Movimento) e de dois brasileiros (Movimento Desocupa e Canteiros Coletivos) que se mobilizaram em prol da regeneração de áreas urbanas degradadas da cidade de Potenza (Itália) e de Salvador (Bahia/Brasil), em 2012-2013. Aplicou-se o método de Análise de Redes Sociais a redes semânticas extraídas de comentários a mensagens (posts) para responder às seguintes questões: quais são as características atribuídas ao espaço urbano? quais são as ações preferenciais para obtê-lo? quais são as visões sobre a cidade dos grupos e de representantes públicos presentes ou referenciados nessas redes sociais digitais? que visões de participação, cidadania e bem comum emergem nessas conversações? Identificaram-se os termos mais proeminentes para os temas estudados – visões do Espaço Urbano, visões do Conflito e visões da Política –, de acordo com sua posição nos rankings obtidos para os seguintes índices de centralidade: de grau, de proximidade, de autovetor e de intermediação. Foram exploradas as vizinhanças e comunidades a que pertencem esses termos. Uma categorização relevou ações, recursos e qualidades da ação e do espaço urbano mencionadas por cada um dos grupos. Valores e motivações que emergem da interpretação das redes semânticas deram ocasião a reflexões sobre o alcance das ações que os grupos empreendem. Concluiu-se que o grupo Parco del Basento assume uma visão republicana, mobiliza os cidadãos de Potenza, sem buscar a mediação de políticos e partidos. Ainda assim, reforça a democracia representativa, inscreve suas práticas num quadro de cidadania ativa e promove a defesa da democracia participativa. O grupo Il Giardino in Movimento também assume práticas de projeto participativo; embora não se coloque no campo propriamente da política, reforça e educa na direção da cidadania ativa propalada pelo grupo Parco del Basento. O Movimento Desocupa entra em conflito aberto com a administração pública, ao tempo em que repudia igualmente partidos e políticos. Configura um “nós” contra “ele” (o prefeito), expõe a grande insatisfação com o governo da cidade, mas não consegue elaborar propostas alternativas ao rumo dado ao crescimento de Salvador. O grupo Canteiros Coletivos declara uma visão de cidadania que se aproxima da visão comunitarista: atua contra a degradação de áreas da cidade, ao tempo em que educa e busca harmonizar laços de convivência entre moradores dessas áreas, acreditando que isso leva as pessoas a atribuírem um valor comum à vivência no espaço público. De diversos modos, os grupos restituem o valor à vida na cidade, abrindo possibilidade à sua fruição numa diversidade de perspectivas, atribuindo assim um valor de bem comum ao espaço urbano.
The research reveals visions of urban space as the common good, and actions to defend it taken by groups voluntarily organized into networks mediated by the Internet and mobile communication networks. Through social media, they create/adopt causes that favor free access and use of the city. They take part of civil life and expose their ideals of democracy and participation; inscribe citizenship practices in the public sphere that amplify the movements against the capture of the city only by private interests. Conversations caught on Facebook pages of two Italian groups (Basento's Park and The Garden in Motion group) and two Brazilians groups (Unocuppy Movement and Collective Yards group) were analysed. These groups have mobilized to regenerate degraded areas of the city of Potenza (Italy) and Salvador (Bahia / Brazil), in 2012-2013. Social Network Analysis procedures was applied to semantic networks extracted from comments on posts to answer the following questions: What are the characteristics attributed to the urban space? How groups prefer to act in defense of this space? What are the visions of the city from groups and public representatives present or referenced in these digital social networks? What visions of participation, citizenship and the common good emerge in these talks? To respond these questions it have been identified the most prominent terms for these themes: visions of Urban Space, visions of the Conflict and visions of the Politics, according to their position in the rankings of the centrality indices: degree, closeness, eigenvector and betweenness. Then the neighborhoods and communities of the most important terms were explored. Actions, resources and qualities of action and of urban areas mentioned by the group were categorized. Values and motivations that emerge from the reading of semantic networks allowed a reflection about the scope of actions that groups undertake. It was concluded that the Parco del Basento group assumes a republican view, mobilizes citizens of Potenza, and strengthen representative democracy. Even without seeking the mediation of politicians and parties, the group inscribes its practices in active citizenship framework and promotes the defense of participatory democracy. Il Giardino in Motion group assumes participatory design practices; although it does not put itself in the field of politics, strengthens and educates towards active citizenship. The Unoccupy Movement comes into open conflict with the government, and repudiates parties and politicians. Appears as an “us” against “it” (the Mayor), exposes the great dissatisfaction with city government, but can not draw up alternative proposals to the development of Salvador city. The Collective Yards group declares a vision of citizenship that approaches the communitarian vision: acts against degradation of areas of the city, educates and spreads harmonious coexistence between residents of the neighborhood, believing that it leads people to attribute a common value to the public space. In various ways, the groups restore the value of life in the city, opening the possibility for their enjoyment in a variety of perspectives, thus giving the urban space a common good value.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/19213
Appears in Collections:Teses de Doutorado (Poscultura)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese - Versao Final - Completa.pdf6.4 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA