DSpace

RI UFBA >
Instituto de Ciências da Saúde - ICS >
Programa de Pós-Graduação em Imunologia - (PPGIM) >
Dissertações de Mestrado (PPGIM) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/17286

Title: Efeito in vitro da infecção por taquizoítos de n. caninum sobre microglia de córtex cerebral de ratos neonatos
Authors: Ferraz, Gregory Alves
???metadata.dc.contributor.advisor???: Costa, Maria de Fátima Dias
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Pinheiro, Alexandre Moraes
Keywords: Neospora caninum;microglia;resposta imune
Issue Date: 27-Mar-2015
Abstract: neosporose acomete muitas espécies animais, causando-lhes manifestações clínicas de natureza neuro muscular e tem sido apontada como um dos fatores que acarreta prejuízos econômicos na pecuária mundial. Seu agente etiológico, o N. caninum, é controlado por mecanismos de imunidade mediada por células, com destaque de papel protetor para os linfócitos T, que tem variação na sua resposta a depender do tecido parasitado. No sistema nervoso central ocorre um balanço imunológico muito preciso onde a forma infectante do parasito - os taquizoítos - estimula a produção de citocinas do tipo TH1, que acarretariam no controle da sua proliferação. Neste tecido, as células neurogliais parecem responder com a produção de citocinas TH2, com intuito de evitar ou controlar lesões causadas pela resposta pró-inflamatória. O presente estudo investigou o papel imunomodulatório das culturas primárias de microglia durante infecção com taquizoítos de N. caninum. As células, obtidas de cérebro de ratos neonatos, foram infectadas por 72h com o parasito e, para obtenção de controle positivo, foram tratadas com LPS pelo mesmo período. Ensaios de Azul de Trypan e MTT foram realizados para testar a viabilidade celular. Foi observado que as células infectadas e aquelas tratadas com LPS apresentaram significativa perda de viabilidade, cuja causa pode ter sido o aumento significativo dos níveis de nitrito, contudo este evento não contribuiu para o controle da proliferação parasitária. A resposta dessas células ao estímulo parasitário não acarretou tampouco liberação de citocinas inflamatórias (TNF e IFN-γ) e somente quando pré-tratadas com LPS, tiveram níveis de TNF aumentados. Esses dados são compatíveis com a possível modulação negativa da citocina IL-10, que foi encontrada aumentada em ambos tratamentos. Os resultados apontam para a incapacidade das células microgliais isoladas em controlar a proliferação de taquizoítos, ainda que estas, em interação com demais tipos celulares no contexto do tecido cerebral, tenham papel destacado na modulação da resposta ao N. caninum.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/17286
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGIM)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_ICS_ Gregory Alves Ferraz.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA