DSpace

RI UFBA >
Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos - IHAC >
Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (Poscultura) >
Dissertações de Mestrado (Poscultura) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10592

Title: O vermelho na cultura do papel: a visibilidade midiática do MST e a imprensa
Authors: Lyra, Andrea Virginia Lamego
???metadata.dc.contributor.advisor???: Conceição, Fernando Costa da
Keywords: Análise de discurso;MST;Mídia;Bahia;Discouse analysis;Media
Issue Date: 2010
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da UFBA
Abstract: A pesquisa teve como objetivo a análise da cobertura jornalística sobre o fenômeno de ocupação da Veracel S/A pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais – MST, em abril de 2004, no município de Porto Seguro-BA. O estudo da relação entre o MST (BA) e o Jornal A Tarde, foi baseado nas matérias jornalísticas que cobriram a ocupação, considerando-se o corte temporal de 04 a 13 de abril de 2004. No processo de análise do discurso foram também examinados dispositivos, métodos e estratégias que integram a cultura comunicativa do MST e que passou a influenciar o modo de planejar e realizar a comunicação dos movimentos sociais no Brasil. As matérias que compõem a cobertura jornalística ofereceram subsídios para análise de como se apresenta na mídia impressa à imagem do MST. O MST e sua postura supostamente radical, foi objeto de análise formulada pela mídia no sentido de avaliar suas estratégias de atuação e a maneira como estas estratégias se manifestam na mídia impressa. Ao abordar a imagem do movimento formulada pela mídia, são questionadas as motivações determinantes da construção dessa imagem: desconhecimento, preconceito ou comprometimento. Procurou-se desenvolver a idéia de visibilidade do MST na imprensa não como movimento unilateral, mas numa perspectiva da realidade da mídia em relação aos movimentos sociais. A noção de contradições como estado concreto e produto histórico é inerente ao processo de formação da imagem organizacional, gerando situações em que estratégias comunicativas possibilitam a visibilidade e o debate na sociedade. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, percebe o papel de mediador da imprensa e a utiliza quando dialoga com o poder político. A mídia reconhece seu poder na condição de mediação. Ambos se reconhecem nesta condição e jogam um “jogo de usos”, o vermelho na cultura do papel.
Description: 96f.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10592
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (Poscultura)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
dissert_Andrea Lyra.pdf1.56 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA