Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/30736
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorConrado, Amélia Vitória de Souza-
dc.contributor.authorBritto, Tícia Viviane Souza Guia-
dc.creatorBritto, Tícia Viviane Souza Guia-
dc.date.accessioned2019-10-10T16:39:41Z-
dc.date.available2019-10-10T16:39:41Z-
dc.date.issued2019-10-10-
dc.date.submitted2019-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30736-
dc.description.abstractO presente trabalho é uma dissertação e descreve o que se intitula: “Microdança das mãos no fado: corporalidade no processo criativo do espetáculo “Emergências: corpos negros! Qual beleza?””. Aqui apresento e discuto a microdança das mãos no fado, conceito nascido a partir das minhas percepções e práticas como artista e que trata da corporalidade numa perspectiva da construção do meu espetáculo. O espetáculo, que faz uma costura entre dança, música e poesia, tem como arcabouço da pesquisa de movimento a corporalidade na observação e análise de vídeos da cantora de fado Amália Rodrigues. Por vezes traz, com o intuito apenas de cotejar, a corporalidade das cantoras do samba-canção entre outras poéticas. “Emergências…”, inspirado no poema Emergência, de Mário Quintana, dialoga com a urgência poética e fala da importância da presença do corpo negro feminino em cena. Fala ainda de como a imposição de limitações à sua corporalidade, no âmbito social, reverbera nas suas mais variadas representações e maneiras de estar no mundo, inclusive no fazer artístico. Há muitos outros estudos, mas para fins desse trabalho defendo – sustentada em parte pela revisão da literatura dedicada ao tema, em parte pela minha própria experiência artística como cantora e dançarina –, que o fado tem matrizes em músicas e danças afro- brasileiras. Suas manifestações sofreram variadas influências de ordem histórica, social, cultural e política, alterando assim, no passar dos anos, a movimentação corporal de suas cantoras. O pressuposto básico para esta investigação foi, portanto: o papel que se atribui aos contextos socio-históricos das cantoras do fado na limitação de seus movimentos interpretativos: da sua corporalidade. Para tanto, e apenas na perspectiva do meu trabalho, farei uma breve revisão histórica das matrizes comuns entre o fado e o samba, trazendo para esta discussão autores brasileiros e portugueses. No que diz respeito à dança e à corporalidade, serão aqui apresentados os conceitos pertinentes que ajudam a enriquecer o tema desta pesquisa. Este trabalho, em contínuo processo, requisito para a obtenção do grau de Mestra no programa de pós-graduação em Dança, traz em sua composição informações acerca da elaboração e do desenvolvimento da pesquisa, a explicação dos processos criativos e seus produtos. Ainda cabe dizer que presta-se à socialização das atividades desenvolvidas e como sistematização da pesquisa apresentando, em detalhes, suas etapas, os passos dados e os não dados na sua realização, buscando consonância às razões exigidas à sua natureza.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectFadopt_BR
dc.subjectDançapt_BR
dc.subjectCorporalidadept_BR
dc.subjectRodrigues, Améliapt_BR
dc.titleMicrodança das mãos no fado: corporalidade no processo criativo do espetáculo “Emergências: corpos negros! Qual beleza?”pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.refereesAmoroso, Daniela Maria-
dc.contributor.refereesDumas, Alexandra Gouvêa-
dc.publisher.departamentEscola de Dançapt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós - Graduação em Dançapt_BR
dc.publisher.initialsPPGDANÇApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.subject.cnpqDançapt_BR
Appears in Collections:Dissertação (PPGDANCA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_TÍCIA_PARA IMPRESSÃO-convertido-mesclado-compactado.pdf7,44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.