Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/15789
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCoelho, Maria Thereza Ávila Dantas-
dc.contributor.authorSantos, Vanessa Prado dos-
dc.contributor.authorSilva, Bárbara Menezes-
dc.contributor.authorOliveira, Evelyn Martins Reale-
dc.contributor.editorTeixeira, Carmen Fontes de Souza-
dc.contributor.editorCoelho, Maria Thereza Ávila Dantas-
dc.creatorCoelho, Maria Thereza Ávila Dantas-
dc.creatorSantos, Vanessa Prado dos-
dc.creatorSilva, Bárbara Menezes-
dc.creatorOliveira, Evelyn Martins Reale-
dc.date.accessioned2014-09-03T17:24:02Z-
dc.date.issued2014-04-09-
dc.identifier.citationCOELHO, M.T.Á.D., SANTOS, V. P.; SILVA, B. M.; OLIVEIRA, E. M. R. Concepções e Práticas de Saúde e Doença entre alunos da primeira turma do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde da UFBA. In: TEIXEIRA, C.F.; COELHO, M.T.Á.D. (Orgs.). Uma Experiência Inovadora no Ensino Superior: Bacharelado Interdisciplinar em Saúde. Prefácio: Naomar de Almeida Filho. Salvador: EDUFBA, 2014. p.111-126.pt_BR
dc.identifier.isbn978-85-232-1142-4-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/15789-
dc.description.abstractNeste capítulo investigamos as concepções e práticas de saúde e doença entre alunos ingressos, em 2009, no 1º ano do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde da UFBA, objetivando também conhecer a autopercepção dos estudantes quanto ao seu estado de saúde e/ou doença, bem como as suas ações de manutenção da saúde e buscas terapêuticas. As respostas aos 131 questionários aplicados foram processadas no programa EPI INFO 2005 e analisadas conforme a análise categorial proposta por Bardin. Em relação à autopercepção de saúde-doença, 74% dos ingressos em 2009 afirmaram se sentirem saudáveis. Os alunos procuram, predominantemente, por assistência médica em caso de adoecimento, mas também recorrem à prática da automedicação e às terapêuticas naturais. As concepções de saúde dos estudantes contemplaram, principalmente, a ideia de bem-estar, difundida pela OMS, mas também as noções de equilíbrio, harmonia, ausência de doença, capacidade para desempenho de atividades, felicidade, normalidade e perfeição. Em relação às concepções de doença, prevaleceram as ideias de desequilíbrio e anormalidade, seguidas das de desarmonia, debilidade, deficiência, alteração de caráter físico/psicológico e ausência de saúde.pt_BR
dc.description.sponsorshipEdital PROUFBA 2011, FAPESBpt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherEDUFBApt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEducação superiorpt_BR
dc.subjectsaúdept_BR
dc.subjectdoençapt_BR
dc.subjectBacharelado interdisciplinarpt_BR
dc.titleConcepções e Práticas de Saúde e Doença entre alunos da primeira turma do Bacharelado Interdisciplinar em Saúde da UFBApt_BR
dc.typeCapítulo de Livropt_BR
dc.description.localpubSalvadorpt_BR
dc.embargo.liftdate10000-01-01-
Appears in Collections:Livro e Capítulo (PPGEISU)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.