Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/13263
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Silêncio e naturalização na construção das masculinidades na Educação Básica
Authors: Santos, Josue Leite
Abstract: O presente trabalho é uma pesquisa de mestrado cujo título é “Silêncio e naturalização na construção das Masculinidades na Educação Básica”. O objeto de pesquisa deste estudo consistiu na reflexão acerca da escola no processo de materialidade dos corpos enquanto artefatos performativos de masculinidades, cujo objetivo é analisar como a escola de educação básica, através dos atos de currículo, se posiciona frente a uma política das masculinidades. Nosso ponto de partida está na convicção de que a heterossexualidade, como a pedra angular dos alicerces da construção das estruturas culturais da sociedade, produz sujeitos legítimos, normais e naturais em detrimento da produção de outros que serão destinados à abjeção, ao silêncio, à violência, a patologia e a ilegalidade. Neste sentido, há práticas discursivas culturais que permeiam todo fazer escolar, guiado por uma epistemologia dominante que estabelece a matriz heterossexual como norma, como princípio natural e essência do sujeito. Assim, acreditamos que borrando os limites e as fronteiras desta matriz de inteligibilidade de gênero poderemos, então, pensar em novas possibilidades de produções culturais das masculinidades sem as marcas da subalternidade, do ridículo, da injúria, da violência, dos limites fixos e das fronteiras que limitam as possibilidades outras. Este estudo tem como contexto os professores da educação básica, da rede pública estadual de educação do estado da Bahia, do município de Jequié-BA. Foram adotados nesta investigação os princípios da pesquisa qualitativa descritiva, dadas as contribuições inerentes desta abordagem para o estudo de caso amiúde da prática escolar. Por fim, os dados foram analisados à luz da análise de conteúdo baseada em Bardin, o que resultou nas verificações de que os caminhos tomados pela escola não estão neutros ou isentos de práticas políticas intencionais. Há práticas discursivas culturais que permeiam todo fazer escolar, guiado por uma epistemologia dominante que estabelece a matriz heterossexual como norma, como princípio natural e essência do sujeito. As melhorias nos campos das sexualidades e gênero não serão efetivadas na escola enquanto o modelo de referência for este que está consolidado no paradigma da modernidade.
Keywords: Homens
Masculinidades
Educação Básica
Corpo
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/13263
Issue Date: 15-Oct-2013
Appears in Collections:Dissertações (POSCULTURA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Texto final da dissertação - DEPOSITO repositório.pdf21,24 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.