DSpace

RI UFBA >
Escola de Enfermagem >
Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF) >
Dissertações de Mestrado (PPGENF) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/9560

Title: Dinâmica do prazer-sofrimento na organização do trabalho da enfermeira
Dinâmica do prazer-sofrimento na organização do trabalho da enfermeira
Authors: Santos, Cristiane Magali Freitas dos
???metadata.dc.contributor.advisor???: Tahara, Ângela Tamiko Sato
Tahara, Ângela Tamiko Sato
Keywords: Sofrimento;Enfermagem;Prazer;Organização do trabalho;Enfermeira;Suffering;Pleasure;Work organization;Nurse
Issue Date: 22-Feb-2008
Publisher: Programa de Pós- Graduação em Enfermagem da UFBA
Abstract: Trata-se de um estudo de caso exploratório com abordagem qualitativa com aporte quantitativo, fundamentada na concepção teórico-filosófico da psicodinâmica do trabalho de Dejours, com o objetivo de analisar como a organização do trabalho se relaciona com a dinâmica prazer-sofrimento no trabalho da enfermeira em um hospital privado da cidade de Salvador. A coleta de dados foi realizada através das técnicas de entrevista individual e coletiva e com a aplicação de um inventário com escala de indicadores prazer-sofrimento no trabalho. A amostra foi constituída de enfermeiras gestoras e da assistência no total de trinta e sete (75%) das quarenta e nove enfermeiras do hospital estudado. Os dados empíricos resultantes das entrevistas foram analisados, considerando os núcleos de sentido definidos pela análise categorial de Bardin e conformaram quatro categorias, a saber: A relação entre a organização do trabalho e a dinâmica prazer-sofrimento; As relações profissionais mobilizando sentimentos de prazer e de sofrimento; Condições de trabalho e a dinâmica do sofrimento; Estratégias coletivas e individuais na ressignificacão do sofrimento. Os resultados do inventário e da análise categorial foram submetidos a uma análise por triangulação de dados, numa construção dialética com os pressupostos da psicodinâmica do trabalho de Dejours. Na fala das enfermeiras emergiam comparações sobre a forma como o seu trabalho se organiza nos diferentes vínculos empregatícios, o que contribuiu para a análise sobre a relação entre a organização inflexível e as vivências de frustração, indignação e sofrimento no trabalho. A rigidez na comunicação, a ausência de um planejamento formal e participativo, a inexistência de um plano de cargos e salários e a insegurança gerada pelo vínculo empregatício cooperativado foram referidas como condições desfavoráveis ao prazer, mas que não interferem no desejo de pertencer ao hospital estudado, considerado como um espaço de crescimento profissional. O resultado, alinhado ao pressuposto da psicodinâmica do trabalho, favoreceu a análise de como a organização do trabalho se relaciona com a dinâmica do prazersofrimento. Foi possível identificar a utilização de estratégias individuais e coletivas, como a negação, minimização ou racionalização do sofrimento, a definição de regras de convivência grupal como forma de enfrentar os constrangimentos e favorecer a ressignificacão do sofrimento em prazer no trabalho. Espera-se que o estudo venha a contribuir para uma reflexão mais profunda sobre a organização do trabalho da enfermeira no âmbito hospitalar.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/9560
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGENF)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Santos.pdf952.52 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA