DSpace

RI UFBA >
Instituto de Letras >
Programa de Pós-graduação em Letras e Lingüística (PPGLL até 2010) >
Dissertações de Mestrado (PPGLL) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/9181

Title: O fantasma da ópera, das páginas para a tela: as adaptações do protagonista de Gaston Leroux
Authors: Alves, Natássia Guedes
???metadata.dc.contributor.advisor???: Cruz, Décio Torres
Keywords: Leroux, Gaston, 1868-1927;Ópera;Tradução e interpretação;Cinema e literatura;Adaptações para o cinema;Linguagem cinematográfica
Issue Date: 22-Mar-2013
Abstract: Esta pesquisa busca analisar as traduções intersemióticas do romance Le Fantôme de l’Opéra, de Gaston Leroux (1910), para o cinema. Para isso, foi feita uma extensa pesquisa bibliográfica a respeito do referencial teórico que envolve o tema, como também com relação ao material já publicado sobre o romance referido e suas adaptações. O objeto de estudo escolhido foi amplamente traduzido para diversos meios, sendo esta uma das razões que impulisonou o desenvolviemnto deste trabalho. No meio cinematográfico, existem mais de vinte adaptações. Nesse estudo serão contempladas a versão de Rupert Julian (1925), um filme de horror, mudo e em preto e branco; assim como a de Joel Schumacher (2004), um musical, produzido pelo mesmo idealizador da peça musical de 1986, Andrew Lloyd Webber. Essa pesquisa visa entender os caminhos que levaram cada obra a culminar em gêneros tão distintos (tendo em vista que ambos partem do mesmo romance) e as transformações pelas quais passou o personagem do Fantasma para que ele se encaixasse em cada nova produção. Assim, é levado em conta, na análise, o fato de se tratar de um processo semiótico no qual a interação sígnica pode ser vista como uma tradução; debruçamo-nos também sobre o estudo da importância da interpretação, que age em conjunto com esse processo. Desse modo, na tradução intersemiótica, além dessa interpretação, deve-se adicionar como característica da prática tradutória a manipulação intencional do tradutor, que enxerta ou realiza cortes de acordo com sua visão, sua necessidade (para adaptação ao gênero) ou para adaptar às exigências do meio ou da recepção. Portanto, as versões cinematográficas são vistas como reescrituras, como qualquer outra tradução, como afirma André Lefevere (2007). Dessa maneira, o estudo verifica como as reescrituras suplementam o texto de partida. A pesquisa revela que a intertextualidade é mais um recurso utilizado pela manipulação,assim como revela que sem suas traduções, O Fantasma da Ópera talvez não ficasse tão conhecido como o é hoje.
Description: 133 f.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/9181
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGLL)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Natássia Guedes Alves.pdf18.28 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA