DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Economia >
Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGECO) >
Dissertações de Mestrado (PPGECO) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8934

Title: O arranjo produtivo da indústria de confecções no município de Feirade Santana: limites e desafios organizacionais e tecnológicos
Authors: Carneiro, Sirius Bulcão
???metadata.dc.contributor.advisor???: Balanco, Paulo Antônio de Freitas
Keywords: Arranjos produtivos locais;Indústria de confecções;Desenvolvimento regional e urbano;Feira de Santana
Issue Date: 2009
Abstract: A partir de conceitos da teoria neoschumpeteriana, o objetivo geral da dissertação é estudar o arranjo produtivo local da indústria de confecções, no município de Feira de Santana. Para isso, fez-se um estudo desses conceitos e montou-se um banco contendo dados primários e secundários. Os primários foram obtidos numa pesquisa de campo, realizada em 2006; os secundários vieram da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), uma base elaborada e colocada à disposição dos pesquisadores pelo Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil. O estudo de campo teve o objetivo de complementar os dados desta base e contou com aplicação de questionários, entrevistas e visitas a algumas fábricas. A partir desses dados, foram analisadas características das empresas e da indústria confeccionista local, tais como: processos de produção, mercados de produtos, insumos e emprego; aspectos relativos às inovações produtivas e organizacionais, cooperação, conhecimento e aprendizado; estrutura de mercado, governança e vantagens competitivas associadas ao ambiente local; políticas públicas e as formas de financiamento adotadas pelas firmas. Analisa-se também o crescimento desse setor de 1994 a 2008. Neste período, os dados sugerem que, no Estado da Bahia, houve um crescimento do número de estabelecimentos confeccionistas e, ao mesmo tempo, um processo de desconcentração espacial das firmas e da mão-de-obra, no qual o município de Salvador perdeu e os municípios do interior ganharam representatividade dentro da indústria estadual. Os dados também sugerem que: as inovações feitas pelas empresas locais nos seus processos produtivos e organizacionais não foram de grande importância; a cooperação entre as firmas do arranjo foi algo incipiente; a produção e difusão de conhecimento e aprendizado, quando raramente ocorreram, foram por meio de formas tradicionais, como, por exemplo, funcionários que treinam uns aos outros. Parece que na indústria local o que predomina é a rivalidade e a competição entre as firmas.
Description: 166f.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8934
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGECO)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Sirius%20Bulcaoseg.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA