DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) >
Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais (PPGCS) >
Teses de Doutorado (PPGCS) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31885

Title: Você não vai ajudar a cantar essas canções de liberdade? (“won't you help to sing these songs of freedom?”): o reggae como pulsões sonoras de resistência
Authors: Costa, Anderson de Jesus
???metadata.dc.contributor.advisor???: Câmara, Antônio da Silva
Keywords: Música;Reggae;Música afrodiaspórica;Contradição;Sociologia da música;Resistência
Issue Date: 1-May-2020
Abstract: A presente tese de doutorado versa sobre as bases estéticas sociológicas do reggae jamaicano, enquanto música de resistência. O objetivo desta pesquisa foi discutir as relações estabelecidas entre os elementos intra-estéticos e extra-estéticos de formação do reggae como música de resistência das populações afrodiaspóricas nas Américas. A metodologia de análise utilizada para consecução da pesquisa atrelou três elementos: uma revisão de literatura reconstituindo os processos sociohistóricos e culturais que serviram de base para a formação do reggae; a apresentação de elementos biográficos dos principais músicos de reggae jamaicano entre as décadas de 60 e 90; e a análise das músicas a partir do processo de decomposição das canções interpostas com os seus conteúdos biográficos e com os contextos sociohistóricos e culturais que lhes circunscreveram. Assim, em primeiro lugar buscamos delimitar a peculiaridade da relação entre música reggae e sociedade, argumentando sua condição de música popular periférica e afrodiaspórica. Partindo da mediação entre estética e sociedade recuperamos algumas das condições sócio-históricas e culturais que firmaram os cenários nos quais o reggae emergiu. Nesse momento os debates sobre a peculiaridade do capitalismo econômicos e racial, os efeitos dos processos de diáspora africana e de racialização das existências nos situaram nas condições sociais que fizeram com que o gênero jamaicano eclodisse como música de resistência. Depois apresentamos, a partir de elementos biográficos dos músicos de reggae as condições cotidianas nas quais suas existências estavam inseridas durante o processo de produção do estilo enquanto outsider. Desta forma, evidenciamos as estratégias utilizadas por eles para subverter as condições de precariedades e as amarras impostas pela indústria fonográfica e pelas próprias condições do desenvolvimento colonialista das nações semi-independentes. Por fim, nos debruçamos sobre a forma/conteúdo de algumas canções de Peter Tosh e Bob Marley, procurando estabelecer os elementos estéticos sociológicos de formação do estilo jamaicanos como música de resistência descolonizatória.
This dissertation focuses on the sociological aesthetic bases of Jamaican reggae, as a music of resistance. This research aims to present the relationships established between the inner and the outer aesthetic elements of reggae production as a resistance music for afrodiasporic populations in the Americas. The methodology used in this research linked three elements: a literature review reconstructing the socio-historical and cultural processes that served as the basis for the reggae formation; the presentation of biographic elements of the main Jamaican reggae musicians between the 1960s and 1990s; and the analysis of the songs from the process of decomposition interposed with their biographical contents as well as the socio-historical and cultural contexts that circumscribed them. Thus, we first seek to delimit the peculiarity of the relationship between reggae music and society, arguing its condition of popular peripheral and afrodiasporic music. Based on the mediation between aesthetics and society, we recover some of the socio-historical and cultural conditions that signed the scenarios in which the reggae emerged. At that moment, the debates on the peculiarity of economic and racial capitalism, the effects of the African diaspora processes and the racialization of entities have placed us in the social conditions that made the Jamaican genre arise as a music of resistance. Then we present, from biographical elements of reggae musicians, the daily conditions in which they were inserted during the production process of the style as an outsider. Thus, we evidenced the strategies used by them to subvert the conditions of precariousness and the restraints imposed by the phonographic industry and by the conditions of the colonialist development of the semi-independent nations. At last, we focus on the form and content of some songs by Peter Tosh and Bob Marley, seeking to establish the sociological aesthetic elements of Jamaican-style formation as music of decolonizing resistance.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31885
ISSN: Tese
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGCS)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
REVISÃOFINAL (Finalizada).pdf2.47 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA