DSpace

RI UFBA >
Instituto de Letras >
Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLITCULT) >
Dissertações de Mestrado (PPGLITCULT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31660

Title: Ildásio Tavares: o escritor entre línguas
Authors: Santos, Henrique Julio Vieira Gonçalves dos
???metadata.dc.contributor.advisor???: Hoisel, Evelina de Carvalho Sá
Keywords: Teoria Literária;Literatura Brasileira;Língua Portuguesa;Iorubá;Ildásio Tavares
Issue Date: 13-Mar-2020
Abstract: No Brasil, são remanescentes em Terreiros de Candomblé e comunidades quilombolas aportes lexicais e construções sintáticas originários de línguas africanas, trazidas por africanos transladados no processo diaspórico fomentado pelo Estado português durante a colonização. Considerando-se esse contexto, é analisado o emprego desse repertório linguístico pelo escritor Ildásio Tavares nas composições do LP Os Orixás (1979) – feito em parceria com o músico Luís Berimbau – e no libreto de Lídia de Oxum: Uma Ópera Negra (1995), de sua autoria. Verifica-se de que forma o uso artístico desse repertório estabelece linhas de fuga à compreensão da literatura como expressão de uma língua nacional a partir dessa representação linguística e identitária. Além disso, analisa-se como esses traços da yorubaianidade na escrita de Ildásio Tavares coloca em contato o repertório da cultura popular, da cultura midiática e da cultura erudita. Nascido em região cacaueira da Bahia, Ildásio Tavares destacou-se por um perfil de atuação múltipla na cena cultural – como poeta, dramaturgo, ficcionista, ensaísta e professor de literatura portuguesa da UFBA –, somada à sua vivência religiosa no Ilê Axé Opô Afonjá, tradicional Terreiro de Candomblé de nação ketu, situado na cidade de Salvador (Bahia), onde recebeu o título de Otum Obá Até – constituinte do corpo de Obás de Xangô, criado por Mãe Aninha, em 1936, para designar os dozes ministros do orixá e seus suplentes, conselheiros da Ialorixá nas questões civis da casa.
Lexical contributions and syntactic constructions from African languages can be found in Brazilian Terreiros de Candomblé. Such languages were brought to Brazil by enslaved African people in the diasporic process fostered by the Portuguese State during colonization. In this context, this study takes into analysis the use of this linguistic repertoire by the writer Ildásio Tavares in his compositions from the LP Os Orixás (1979) – made in partnership with the musician Luís Berimbau – and in the booklet Lídia de Oxum: Uma Ópera Negra (1995); this one of Tavares’ authorship. It was possible to examine in which ways the artistic usage of this repertoire establishes lines of flight to the understanding of literature as an expression of a national language in this linguistic and artistic representation. Furthermore, this study also analyzed how these traces of yorubaianidade in Ildásio Tavares’ writing provides the contact among the popular culture repertoire, the media culture and the erudite one. Born in the cacao region of Bahia, Ildásio Tavares called the attention of many for having a profile of multiple actions in the cultural scene – as a poet, playwriter, fictionist, essayist and professor of Portuguese literature at Federal University of Bahia (UFBA) -, along with his religious life at Ilê Axé Opô Afonjá, a traditional Terreiro de Candomblé from Ketu nation, located in Salvador (Bahia). At this Terreiro he was honored with the title of Otum Obá Até – a member of the body of Obás de Xangô, a title created by Mãe Aninha, in 1936 to point the twelve ministers of the orisha and their deputies (counselors of the Ialorixá in the civic matters of the Ilê Axé).
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31660
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGLITCULT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação Henrique J V G dos Santos PPGLITCULT.pdf1.61 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA