DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Medicina da Bahia >
Programa de Pós-Graduação em Saúde, Ambiente e Trabalho (PPGSAT) >
Dissertações de Mestrado (PPGSAT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31381

Title: O trabalho em saúde mental: sofrimento e transformação dos sujeitos
Authors: Medrado, Ana Carolina Cerqueira
???metadata.dc.contributor.advisor???: Kusterer, Liliane Elze Falcão Lins
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Souza, Elizeu Clementino de
Keywords: Educação Permanente em Saúde;Saúde mental;Narrativas em saúde;Saúde do trabalhador;Precarização do Trabalho
Issue Date: 3-Feb-2020
Abstract: Esta pesquisa tem como objetivo analisar o trabalho em saúde mental como fonte de sofrimento e transformação de sujeitos. É uma pesquisa de natureza qualitativa que adotou a entrevista narrativa como dispositivo de produção de dados e a hermenêutica como perspectiva de análise. O campo de estudo foi um Centro de Atenção Psicossocial álcool e outras drogas (CAPS ad) de Salvador e os informantes foram três residentes e seis profissionais que atuam no citado serviço. A pesquisa divide-se em dois artigos. O primeiro intitulado “Sofrimento dos trabalhadores de saúde mental e sua relação com a precarização do trabalho” centrando-se na análise do sofrimento dos trabalhadores de saúde mental e sua relação com a precarização do trabalho. A análise evidencia que, entre os fatores de sofrimento identificados estão: conflito no ambiente de trabalho, falta de reconhecimento profissional, sobrecarga de trabalho, insegurança quanto à técnica de intervenção, carga horária excessiva, alta demanda emocional e contato com contextos de violência. Tais fontes de sofrimento são provenientes da própria peculiaridade do trabalho em saúde mental, mas também indicam processos de precarização adentrando a esfera do Sistema Único de Saúde (SUS). Constatou-se ainda a invasão do trabalho no tempo livre dos trabalhadores, o que pode estar relacionado com a flexibilização do trabalho aliado às tecnologias de informação e comunicação. Conclui-se que o labor em saúde mental tem sido penetrado pela lógica neoliberal, o que contradiz os valores ideológicos do sistema de saúde. Não foi narrada condição de adoecimento, o que pode estar relacionado com estratégias defensivas ou com a transformação do sofrimento em realização pessoal. O segundo artigo é “O trabalho como espaço educativo: transformando práticas e profissionais do campo da saúde mental”, destacando o papel da educação pelo trabalho como potencial transformadora de práticas e de profissionais do campo da saúde mental. Os resultados revelam que as reuniões, o matriciamento e as residências multiprofissionais são espaços/ferramentas que conseguem promover a intersecção entre educação e trabalho. Encontrou-se ainda que o trabalho que incorpora características educativas alinhadas à Educação Permanente em Saúde tem impacto não apenas no serviço de saúde, mas também reverbera na transformação dos sujeitos. Conclui-se que o trabalho pode ser um campo fértil para a formação de trabalhadores em saúde mental, sobretudo em CAPS comprometidos com os princípios da Reforma Psiquiátrica.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/31381
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGSAT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE ANA CAROLINA CERQUEIRA MEDRADO - FINAL.pdf702.65 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA