DSpace

RI UFBA >
Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia >
Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal nos Trópicos (PPGCAT) >
Dissertações de Mestrado (PPGCAT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30127

Title: Atividade de extratos etanólicos e supercríticos de própolis marrom, vermelha e verde sobre Corynebacterium pseudotuberculosis
Authors: Santos, Laerte Marlon Conceição dos
???metadata.dc.contributor.advisor???: Portela, Ricardo Wagner Dias
Keywords: Extração supercrítica;Linfadenite caseosa;Antimicrobianos;Produtos naturais;Ovinos;Caprinos;Saúde animal - Tratamentos alternativos
Issue Date: 19-Jul-2019
Abstract: A Linfadenite Caseosa (LC) é uma doença infecto-contagiosa debilitante causada pela bactéria Corynebacterium pseudotuberculosis. É caracterizada pelo desenvolvimento de granulomas encapsulados em linfonodos e órgãos, levando a perdas econômicas significativas na caprinovinocultura. O tratamento clínico da LC é geralmente refratário à terapia antibiótica devido ao encapsulamento dos granulomas. A a própolis tem sido objeto de estudos intensivos devido as suas propriedades biológicas e farmacológicas, tal como antibacterianas. Objetivou-se com o presente estudo avaliar a susceptibilidade de C. pseudotuberculosis perante extratos de própolis obtidas pelos métodos de extração supercrítica e etanólica. Foram utilizadas três cepas de C. pseudotuberculosis, a cepa padrão 1002, a cepa patogênica VD57 e a cepa viscerotrópica N1. Para o teste de susceptibilidade a antimicrobianos comerciais utilizou-se as metodologias de disco difusão e microdiluição em caldo. A metodologia da microdiluição em caldo foi utilizada para determinar a Concentração Inibitória Mínima (MIC) e a Concentração Bactericida Mínima (MBC) sobre C. pseudotuberculosis frente aos extratos supercríticos e etanólicos de própolis. Os resultados do teste de sensibilidade utilizando antibióticos comerciais indicaram uma elevada sensibilidade das cepas de C. pseudotuberculosis aos agentes antimicrobianos. O extrato etanólico de própolis verde apresentou a melhor atividade antimicrobiana contra C. pseudotuberculosis, cepa 1002. O extrato supercrítico de própolis vermelha apresentou a melhor atividade antimicrobiana contra C. pseudotuberculosis, cepa VD57. Observamos uma menor atividade antimicrobiana do extrato etanólico de própolis marrom frente as cepas testadas. Conclui-se que o extrato de própolis vermelha supercrítica e verde etanólica apresentaram as melhores atividades antimicrobiana contra as cepas de C. pseudotuberculosis, e podem ser consideradas como opção em futuros estudos sobre o tratamento e prevenção da LC.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30127
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGCAT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_Laerte_Marlon.pdf1.16 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA