DSpace

RI UFBA >
Instituto de Letras >
Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLITCULT) >
Teses de Doutorado (PPGLITCULT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29652

Title: ESCRITAS EXCESSIVAS: CASSANDRA RIOS E O PROTAGONISMO EXCÊNTRICO NA LITERATURA BRASILEIRA
Authors: Pereira, Ana Gabriela Pio
???metadata.dc.contributor.advisor???: Herrera, Antonia Torreão
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Souza, Arivaldo Sacramento de
Keywords: Cassandra Rios;Mulheres;Contrato heterossexual;Liberdade;Gênero;Literatura brasileira
Issue Date: 24-May-2019
Abstract: Esta tese Escritas excessivas: Cassandra Rios e o protagonismo excêntrico na literatura brasileira se debruça sobre a produção literária de Cassandra Rios (1932-2002), escritora muito popular nas primeiras décadas da segunda metade do século XX, no Brasil. Conhecida por rótulos como “A papisa do homossexualismo” e “A escritora mais proibida do Brasil”, a autora é responsável pela criação de dezenas de romances protagonizados por sujeitos socialmente marginalizados, em virtude, principalmente, de uma não conformação aos padrões estabelecidos de gênero e práticas sexuais. São muito recorrentes na referida obra os gays, as travestis, as prostitutas e, sobretudo, as lésbicas, em torno de quem há uma intensa política afirmativa. Neste trabalho, distanciando-nos daquilo que é tendência no trabalho de sua ainda tímida fortuna crítica, não trataremos dos romances de Cassandra Rios pelo viés do seu projeto de construção de uma imagem positiva para as lésbicas, apesar de acreditarmos ser este um dos mais importantes empreendimentos desses textos. Optamos por perscrutar a faceta da autora que se volta para o questionamento de uma cultura que, sob a égide do que Monique Wittig chama de contrato heterossexual, oprimiu, silenciou e mutilou os sujeitos compreendidos pela categoria mulheres. Nesse sentido, nas páginas que seguem, procuraremos demonstrar a literatura cassandriana como propulsora de uma política de combate ao discurso heteronormativo, que criou um modelo ideal de “mulher”, estabelecendo para esse sujeito alguns destinos precisos, dentre os quais o da maternidade e o do confinamento no casamento heterossexual são os mais importantes. Para a realização de tal empreendimento, lançamos mão de quatro livros da autora: A Sarjeta (1952), A paranoica (1969), Eu sou uma lésbica (1975/2006) e Uma mulher diferente (1968/2005). Como não nos preocupa nesse momento construir linearidades ou levar o público leitor a acompanhar todas as nuances das narrativas, não as utilizaremos na íntegra. Ao invés disso, optamos pela fragmentação, por flashes que possam comprovar o que acreditamos ser um desejo subjacente nesses textos: o de pensar uma sociedade na qual os sujeitos ditos mulheres possam se ver livres da opressão imposta pela cultura regulada pelas regras da heterossexualidade.
The dissertation Excessive Writings: Cassandra Rios and the eccentric protagonism in Brazilian literature looks at the literary production of Cassandra Rios (1932-2002), a very popular writer in the first decades of the second half of the twentieth century in Brazil. Known by labels such as “The Pope of Homosexuality” and “The most forbidden writer in Brazil”, the author is responsible for the creation of dozens of novels carried out by socially marginalized subjects, mainly due to non conformance to established gender standards and sexual practices. The gays, the transvestites, the prostitutes and, above all, the lesbians, around whom there is an affirmative policy, are very frequent in her work. In this work, distancing us from what is a tendency in the still timid critic about her work, we will not discuss the novels of Cassandra Rios for the bias of her project of constructing a positive image for the lesbians, although we believe this to be one of the most important achievement of these texts. We chose to examine the facet of the author who turns to the questioning of a culture that, under the aegis of what Monique Wittig calls the Heterosexual Contract, oppressed, silenced and mutilated the subjects included in the category of women. In this sense, in the following pages, we will try to demonstrate the Cassandrian literature as a propeller of a policy of combating heteronormative discourse, which created an ideal model of “woman”, establishing for this subject some precious destinies, among which the one of motherhood and confinement in heterosexual marriage are the most important. For the accomplishment of such an undertaking, we have used four books written by the author A Sarjeta (1952), A paranóica (1969), Eu sou uma lésbica (1975/2006) and Uma mulher diferente (1968/2005). Since we are not concerned at the moment to construct linearities or lead the reader to follow all the nuances of the narratives, we will not use them in their entirety. Instead, we opt for fragmentation, for flashes that can prove what we believe to be an underlying desire in these texts: that of thinking a society in which the so-called female subjects can be freed from the oppression imposed by the culture regulated by the rules of heterosexuality.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29652
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGLITCULT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ANA GABRIELA PIO PEREIRA - ESCRITAS EXCESSIVAS CASSANDRA RIOS E O PROTAGONISMO EXCÊNTRICO NA LITERATURA BRASILEIRA - 2019.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA