DSpace

RI UFBA >
Instituto de Saúde Coletiva - ISC >
Dissertações de Mestrado Profissional (ISC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29256

Title: Estratégias organizacionais de Vigilância Sanitária em Eventos de Massa.
Authors: Leiro, Ana Lúcia Oliveira e
???metadata.dc.contributor.advisor???: Lima, yara Oyram R.
Keywords: Vigilância Sanitária;Descentralização;Risco Sanitário;Eventos de Massa
Issue Date: 9-Apr-2019
Abstract: A Vigilância Sanitária (Visa) apresenta-se como sendo a forma mais plural de existência da Saúde Pública fazendo interface com as demandas sociais de saúde, trabalhando na adequação do sistema de produção de bens e serviços e ambiente. Surge, nesse contexto, o novo objeto “eventos de massa” (EM) com elementos estreitos a emergências em saúde pública, norteados pela avaliação dos riscos sanitários, contemplando planejamento das ações a nível de território para gerenciamento destes riscos. Trata-se de estudo de múltiplos casos com abordagem qualitativa, exploratório e descritivo das ações realizadas pela Visa em EM de caráter internacional realizados no território do Distrito Sanitário do Centro Histórico (DSCH): Copa das Confederações (2013), Copa do Mundo (2014), Jogos Olímpicos (2016). O estudo objetivou analisar as estratégias organizacionais definidas e realizadas pela Visa do DSCH para a prevenção e controle de riscos sanitários nos EM realizados. A metodologia utilizada envolveu análise documental de relatórios das atividades realizadas pela Visa do DSCH nos EM, no período antes, durante e pós evento, além da legislação específica para EM. O estudo revela que o planejamento foi atrelado a regras definidas pela Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Pode-se inferir que as práticas com compreensão do território promoveram maior abrangência no controle do risco sanitário nos EM. O planejamento e execução das ações tiveram resultados distintos, onde a Copa das Confederações surge com estratégias mais tímidas, sendo evoluído para a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos com melhor amplitude tendo em vista maior participação da Visa distrital nas discussões com os organizadores dos eventos e empresas prestadoras de serviços, além de avaliações dos projetos de estrutura física e execução dos eventos. Os resultados revelaram que as ações desenvolvidas para controle do risco sanitário no período pré, constituíram-se de diagnóstico dos estabelecimentos da área adstrita ao estádio, inspeções e atividades educativas com o setor regulado; análise dos projetos dos eventos para o estádio. No período do evento as ações desenvolvidas foram determinadas por inspeções no estádio nos serviços instalados de alimentação, saúde e nos serviços de interesse da saúde. Conclui-se que a Visa do DSCH esteve instigada no desafio dos objetos do estudo com expansão das suas atividades o que promoveu mudanças no processo de trabalho, sendo necessário aprofundar as técnicas de planejamento mais sistematizadas com discussões para inclusão de ações de promoção à saúde nos EM. Por fim, sugere-se um olhar mais amplo, com discussão das práticas, reiterando a intersetorialidade e a interinstitucionalidade como elementos adicionais às ações da Visa.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29256
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado Profissional (ISC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISS MP. ANA LÚCIA OLIVEIRA E LEIRO 2018.pdf2.4 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA