DSpace

RI UFBA >
Instituto de Geociências >
Programa de Pós-Graduação em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente (POSPETRO) >
Dissertações de Mestrado (POSPETRO) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28939

Title: Capacidade de biodegradação do petróleo da bacia do recôncavo em sedimento de manguezal por consórcios microbianos encapsulados.
Authors: Barreto, Isana Souza
???metadata.dc.contributor.advisor???: Lima, Danúsia Ferreira
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Oliveira, Olívia Maria C. de
Keywords: biorremediação;consórcios microbianos;petróleo;manguezal
Issue Date: 20-Mar-2019
Abstract: Acidentes envolvendo o derramamento de óleo em ecossistemas costeiros resultam em impactos negativos para o meio ambiente e a sociedade. A necessidade em remediar áreas poluídas por derramamentos de petróleo tem conduzido ao desenvolvimento de novas tecnologias que visam à descontaminação do ambiente. A estratégia de biorremediacão aliada a bioaumentação e bioestímulo é uma alternativa que consiste na utilização da atividade biológica de microrganismos que possuem capacidade de acelerar a degradação e a mineralização dos poluentes. Nesse estudo, avaliou-se o potencial de biodegradação dos hidrocarbonetos de petróleo por consórcios microbianos mistos de bactérias e fungos encapsulados com polímeros naturais. Montou-se dois experimentos de simulação de derramamento de petróleo em sedimento de manguezal em sistema de mesocosmos e microcosmos, formado por ensaios em triplicata de atenuação natural (A), controle (C) e biorremediacão (B). Monitorou-se os parâmetros físico-químicos, geoquímicos e microbiológicos em amostras de sedimento coletados nos tempos 1, 15, 30, 60 e 90 dias. Para o tratamento estatístico dos dados utilizou-se o programa ‘R’ e aplicou-se o teste de Shapiro-Wilk, Kruskal-Wallis e Nemenyi, todos com 95% de nível de confiança. Apesar dos resultados dos dois experimentos apresentarem desempenho semelhante em relação a degradação do óleo no tratamento A e B para o experimento 1, a razão HTP/UCM e a distribuição dos n-alcanos apontou eficiência de 12%, e redução da concentração dos nalcanos a partir do C17 ao C35 para o tratamento B, contra 3% para o tratamento A. O monitoramento físico-químico mostrou uma variação entre a faixa considerada normal para um ambiente de manguezal; o monitoramento químico apresentou pequenas variações na taxa de produção e consumo dos nutrientes; e o monitoramento microbiológico exibiu um predomínio da comunidade bacteriana seguido da sucessão da comunidade fúngica indicando a contribuição da biodegradação pela atividade microbiana no processo de aceleração da degradação dos HTPs. No experimento 2 os dados do Teste Respirométrico apontaram a degradação do óleo através da produção de CO2 igual em ambos os tratamentos.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28939
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (POSPETRO)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTA_Isana Barreto_final.pdf2.96 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA