DSpace

RI UFBA >
Instituto de Letras >
Pós-Graduação em Literatura e Cultura (PPGLITCULT) >
Teses de Doutorado (PPGLITCULT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28642

Title: A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM DA BAHIA TURÍSTICA EM BAHIA DE TODOS OS SANTOS: GUIA DE RUAS E MISTÉRIOS, DE JORGE AMADO
Authors: Ferreira, Tatiane Almeida
???metadata.dc.contributor.advisor???: Santos, Alvanita Almeida
Keywords: Guia;Bahia;Turismo;Imagem;Discurso;Amado, Jorge, 1912-2001;Turismo e Estado;Identidade social - Bahia
Issue Date: 19-Feb-2019
Abstract: A presente tese busca realizar uma leitura das imagens que ajudaram a construir a imagem turística da cidade do Salvador na obra Bahia de Todos os Santos: guia de ruas e mistérios, de Jorge Amado, a partir das suas principais edições, a primeira de 1945 ilustrada por Manuel Martins, e a edição de 1977, atualizada em seu texto verbal e ilustrada por Carlos Bastos. A obra vai sofrer mudanças a fim de acompanhar as transformações urbanas e culturais que se operavam na cidade do Salvador quando novas ações de incentivo à cultura e ao turismo foram pensadas para a cidade, bem como a efervescência cultural em torno da ideia de baianidade e a preocupação em criar um imaginário cultural e, consequentemente, uma imagem para a Bahia que serviria de fomento ao turismo. Partimos do pressuposto de que o escritor sempre idealizou uma imagem para a capital baiana, com a conjugação da paisagem arquitetônica e dos elementos humanos que a constituem, permitindo, portanto, investigações que entendam por que a imagem dessa cidade sempre foi uma preocupação para as elites econômicas, intelectuais, para os artistas, escritores, políticos e empresários. Pensando no recorte temático para a pesquisa, buscamos responder as seguintes questões: De que modo o diálogo entre a palavra e a imagem ajudaram na construção da imagem turística da Bahia no guia Bahia de Todos os Santos? Como os contextos históricos de 1945 e 1977 influenciaram na criação de uma imagem fixa para a Bahia? Como cada ilustrador fez essa leitura da Bahia criada por Jorge Amado? O que é apresentado nas representações ora real, ora ficcional e imagética leva à manutenção do discurso criado sobre a Bahia em representações contemporâneas? Por esse viés, a discussão aqui proposta se debruça sobre as visões empreendidas pelo guia turístico de Jorge Amado, em suas duas edições, que mesclam realidade e ficção quando poetizam, ficcionalizam os espaços da cidade em alguns momentos. Utilizamos essas narrativas para compreender como o olhar sobre ela foi construído. Na busca por respostas, este trabalho tem uma vertente interdisciplinar e transdisciplinar, ao fazer as leituras interpretativas da obra tomando às considerações críticas e teóricas dos estudos urbanos e arquitetônicos, dos Estudos Culturais, dos estudos foucaultianos sobre análise arqueológica do discurso, com a sua abordagem histórica, cujas categorias principais são o discurso e o enunciado que serviram para compreender de que modo o conteúdo escrito do guia se apresenta nas imagens das capas e nas ilustrações do livro, bem como para apresentar uma leitura do discurso criado no diálogo entre o texto verbal e os textos visuais, para verificar as repetições de uma imagem sobre a Bahia nas diferentes edições do livro e em seu diálogo com as representações contemporâneas. A obra incita diversos caminhos de interpretação e fomos conduzidos por ela a tecer algumas provocações que foram auxiliadas pelas reflexões de Derrida e Deleuze para pensar outras questões, na tentativa de realizar outras leituras dessa cidade que existe em sua forma concreta, mas que também habita o imaginário das pessoas sendo tão real quanto, porque se constituiu como verdade. O que percebemos nessa obra é o fato de o escritor se preocupar em fixar uma imagem para a cidade do Salvador em dois períodos: na década de 40 e na década de 70 em conformidade com o contexto histórico-cultural. A pesquisa permitiu identificar nas obras do corpus, cruzando com as propagandas governamentais para o turismo, a presença de uma regularidade discursiva sobre a imagem de Salvador a partir da edição de 77, retratando a cidade como cartão-postal e lócus da cultura negro-mestiça singular e autêntica, impulsionada pela festa cotidiana e pelo encantamento. A imagem construída no livro de 45 denunciava uma urbe desigual, degradada e miserável tanto nos segmentos mais pobres da sociedade quanto na destruição de seu acervo arquitetônico, por isso o escritor vai mudar, vai reconstruir a imagem da cidade na edição atualizada, justamente para fazer a Bahia se firmar como polo turístico e entrar na concorrida rota internacional.
The present thesis aims to make a reading of the images that helped to construct the tourist image of the city of Salvador in the work Bahia de Todos os Santos: Jorge Amado's streets and mysteries guide, from its main editions, the first illustrated 1945 by Manuel Martins, and the 1977 edition, updated in its verbal text and illustrated by Carlos Bastos. The work will undergo changes in order to accompany the urban and cultural changes that were taking place in the city of Salvador when new actions to encourage culture and tourism were designed for the city, as well as the cultural effervescence around the idea of baianidade and the cultural imagery and, consequently, an image for Bahia that would serve to promote tourism. We start from the assumption that the writer has always created an image for the Bahian capital, with the combination of the architectural landscape and the human elements that constitute it, thus allowing investigations that understand why the image of this city has always been a concern for the elites economic, intellectual, for artists, writers, politicians and entrepreneurs. Thinking about the thematic clipping for the research, we tried to answer the following questions: How did the dialogue between word and image help in the construction of the tourist image of Bahia in the guide Bahia de Todos os Santos? How did the historical contexts of 1945 and 1977 influence the creation of a fixed image for Bahia? How did each illustrator make this reading of Bahia created by Jorge Amado? What is presented in representations now real, now fictional and imaginary leads to the maintenance of the discourse created on Bahia in contemporary representations? Due to this bias, the discussion proposed here focuses on the views made by Jorge Amado's tourist guide, in his two editions, which mix reality and fiction when they poeze, fictionalize the spaces of the city at times. We use these narratives to understand how the look on it has been constructed. In the search for answers, this work has an interdisciplinary and transdisciplinary aspect, in making the interpretative readings of the work taking to the critical and theoretical considerations of the urban and architectural studies, the Cultural Studies, the Foucaultian studies on archeological discourse analysis, with its approach whose main categories are the discourse and the statement that served to understand how the written content of the guide is presented in the images of the covers and illustrations of the book, as well as to present a reading of the discourse created in the dialogue between the verbal text and the visual texts, to verify the repetitions of an image about Bahia in the different editions of the book and in its dialogue with the contemporary representations. The work prompts several paths of interpretation and we have been led by it to weave some provocations that were aided by the reflections of Derrida and Deleuze to think other questions, in the attempt to carry out other readings of that city that exists in its concrete form, but also inhabits the imaginary of people being as real as, because it constituted itself as truth. What we perceive in this work is the fact that the writer is concerned with fixing an image for the city of the Savior in two periods: in the 1940s and 70s in accordance with the historical-cultural context. The research allowed to identify in the works of the corpus, crossing with the governmental advertisements for the tourism, the presence of a discursive regularity on the image of Salvador from the edition of 77, portraying the city like postcard and locus of the black-mestizo culture singular and authentic, driven by the daily feast and the enchantment. The image in the book of 45 denounced an unequal, degraded and miserable city in both the poorer segments of society and the destruction of its architectural heritage, so the writer will change, he will rebuild the image of the city in the updated edition, precisely to do Bahia to establish itself as a tourist center and to enter the concurred international route.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28642
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGLITCULT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE completa - TATIANE ALMEIDA FERREIRA - 2018 - VERSÃO FINAL - ENCADERNAÇÃO (2).pdf6.04 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA