DSpace

RI UFBA >
Instituto de Ciências da Saúde - ICS >
Colegiado de Fonoaudiologia (ICS) >
Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC - Fono) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26569

Title: Prevalência das alterações de fala decorrentes de dificuldades fonéticas e fonológicas em um serviço de otorrinolaringologia da cidade de Salvador- Ba.
Authors: Gomes, Larissa da Silva
???metadata.dc.contributor.advisor???: Casais-e-Silva, Luciana Lyra
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Souza, Ana Carla
Keywords: Fonoaudiologia;Alterações de fala/linguagem;Fonologia
Issue Date: 16-Jul-2018
Abstract: identificar e caracterizar as alterações de linguagem (desvios fonológicos) e de fala (desvios fonéticos) mais frequentes em crianças na faixa etária de 4 a 7 anos de idade em ambos os gêneros atendidas em um Centro de Otorrinolaringologia cidade de Salvador-BA. Método: estudo de análise longitudinal, retrospectivo e descritivo. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação do Questionário/Ficha estruturado pela própria pesquisadora. A fonte de dados desta pesquisa foram prontuários/fichas dos pacientes atendidos no Centro de Otorrinolaringologia Otorrinos Associados – INOOA, Salvador, Bahia. Os dados foram analisados estatisticamente. Resultados: foram analisados 31 prontuários de crianças com queixa/histórico de alteração de linguagem e/ou fala, sendo 22 (70,9%) do gênero masculino e 9 (29%) do gênero feminino. A média das idades das crianças desta pesquisa foi de 4,8 anos. Na análise dos prontuários constatou-se que 3 crianças apresentavam desvio fonético, sendo 1 criança do gênero feminino e 2 do gênero masculino.Os desvios fonéticos observados nesse estudo foram: ceceio lateral associado com imprecisão articularia e ceceio anterior. Com relação ao desvio fonológico, a maior prevalência foi no gênero masculino. Os processos fonológicos mais utilizados pelas crianças desse estudo foram: simplificação da redução de encontro consonantal com prevalência de 16,6% (16 crianças); processo de posteriorização 6,2% (6 crianças). Conclusão: A realização deste estudo possibilitou verificar as alterações de fala/linguagem em crianças, onde foi constatado que o gênero masculino apresentou maior prevalência em relação ao gênero feminino. Nesse sentido, a faixa etária mais acometida pelos desvios fonéticos e fonológicos foi a de 4 anos de idade.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26569
Appears in Collections:Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC - Fono)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2017 LARISSA DA SILVA GOMES.pdf1.84 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA