DSpace

RI UFBA >
Instituto de Saúde Coletiva - ISC >
Dissertações de Mestrado Profissional (ISC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26009

Title: Fatores socioambientais e qualidade da água de consumo humano no Tocantins
Authors: Pedro, Lisandra Pereira
???metadata.dc.contributor.advisor???: Mota, Eduardo Luís Andrade
Keywords: Qualidade da Água;Sistema de Abastecimento de Água;Desigualdade;Indicadores de Saúde Ambiental
Issue Date: 16-May-2018
Abstract: Em que pesem os investimentos em saneamento no Tocantins e ações do programa VIGIAGUA, que contribuíram para diminuir o número de municípios que não ofereciam água tratada, além de aumentar o monitoramento da qualidade da água, há desigualdades entre municípios no tocante a esses serviços públicos e os parâmetros de qualidade da água, possivelmente são atribuíveis a diferenciais socioeconômicos. Objetivo: Estudar os fatores socioambientais relacionados à qualidade da água de consumo humano nos municípios do Tocantins no ano de 2015. Métodos: Estudo ecológico espacial utilizando os municípios como unidades de análise, através do modelo FPSEEA (força motriz, pressão, situação, exposição, efeitos e ações), proposto pela OMS, que estabelece uma matriz de indicadores de saúde ambiental. Os indicadores socioeconômicos e de saneamento foram correlacionados aos indicadores de qualidade da água, e os indicadores de exposição à falta de saneamento e de doenças diarreicas foram autocorrelacionados por análise espacial. Os dados secundários foram obtidos do SISAGUA, SNIS, IBGE e SIH. Resultados: Os municípios com maior população receberam mais investimentos em saneamento, possuem maior IDH, e alta desigualdade de distribuição de renda. A falta de coleta de lixo foi indicador de maior pressão ambiental (37,5%) assim como de maior exposição (37,3%). A qualidade da água mostrou valores altos de conformidade com a Portaria MS 2.914/2011. Turbidez (92,4%), Coliformes Totais (81,1%), E. coli (91,2%) e Cloro (77,9%). As análises de Coliformes Totais e presença E. coli apresentaram associação positiva com Índice de Gini e com investimento em saneamento (R = 0,202 P = 0,033; R = 0,237 P = 0,012 respectivamente). Existe padrão espacial local a nordeste do estado de maior exposição ao esgotamento sanitário inadequado e uma região a noroeste do estado com prioridade para doenças de Transmissão feco-oral. Conclusão: A desigualdade na distribuição de investimentos em saneamento no estado, assim como a desigualdade da distribuição de renda dos municípios, são fatores associados à contaminação da água de consumo humano, devendo ser objeto de ações integradas de políticas de saúde e saneamento.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/26009
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado Profissional (ISC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO FINAL MP. Lisandra P. Pedro. 2017.pdf1.95 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA