DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Comunicação >
Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas >
Cibercultura >
Dissertações de Mestrado (Pós-Com_Cibercultura) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25970

Title: #LIBERTADPARABELEN: Twitter y el debate sobre aborto en la Argentina
Authors: Goldsman, Marta Florencia
???metadata.dc.contributor.advisor???: Natansohn, Leonor Graciela
Keywords: Ciberfeminismo;Redes;Dados;Aborto;Twitter
Issue Date: 11-May-2018
Abstract: Entre abril e agosto de 2016, uma onda de protestos tomou conta das ruas e das redes sociais digitais na Argentina. Pela primeira vez, um protesto massivo contra a criminalização do aborto chegou a ser “tendência” no Twitter. Os movimentos de mulheres e feministas organizados acompanhados por sindicatos, representantes de partidos políticos e figuras públicas se posicionaram através da hashtag #LibertadParaBelen, que exigia a liberação de uma jovem presa durante dois anos por causa de um aborto espontâneo. Neste trabalho, analisamos a rede formada no Twitter por essa manifestação, que debateu o direito das mulheres decidirem sobre o aborto. Realizamos uma raspagem de 12.050 tweets, capturados entre 25 de abril e 02 de novembro de 2016. Com esses rastros digitais, geramos um grafo em Gephi que busca representar a visualização e identificação dos atores nesta rede de interações durante esse recorte de tempo. Também criamos un Mandala semântica (oferecida pelo LABIC – UFES) que permite identificar os termos mais frequentes nas conversações registradas no Twitter. Nos concentramos em estudar o Twitter como uma plataforma com uma política de dados e uma série de réguas específicas que definem a interação. A investigação empregou uma abordagem fundamentada nos métodos de pesquisa digital (CHARMAZ, Kathy, 2009; FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana, 2011; BITTENCOURT, Maíra, 2017) que nos permitiu elaborar procedimentos própios para a análise dos dados coletados. Nossos resultados mostram, de maneira complexa, o amadurecimento de um debate histórico sobre o direito ao aborto e a busca por sua despenalização total.
Between April and August 2016, a wave of protests took place in the streets and in the digital social networks in Argentina. For the first time in years, a massive protest linked to the criminalization of women who abort became a "trend" on Twitter. The movements of women and feminists organized together with unions, representatives of political parties and publicly recognized figures positioned themselves through the hashtag #LibertadParaBelen demanding the release of a young women imprisoned for two years because of an spontaneous abortion. In this work we analyze the network formed by the manifestation that speaks about the right to decide of women on Twitter. We do this by scraping 12,050 tweets captured from April 25 to November 2, 2016. With these digital traces we generated a graph in Gephi which aim is to represent the visualization and identification of the actors in this network of interactions as long of that time lapse. We also created a semantic mandala (offered by the LABIC - UFES) that allowed us to identify the most frequent terms in the conversations that took place on Twitter. We concentrate on studying Twitter as a platform with a data policy and a series of specific rules that define the interaction. The research used an approach based on digital research methods (CHARMAZ, Kathy, 2009, FRAGOSO, Suely, RECUERO, Raquel, AMARAL, Adriana, 2011, BITTENCOURT, Maira, 2017) that allowed us to develop our own procedures for data analysis. Our results show, in a complex way, the maturation of an historical debate on the right to abortion in the advance towards total decriminalization.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25970
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (Pós-Com_Cibercultura)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇAO _MARTA_FLORENCIA_GOLDSMAN_2018 (1).pdf10.84 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA