DSpace

RI UFBA >
Escola de Enfermagem >
Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF) >
Dissertações de Mestrado (PPGENF) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/23566

Title: PRÁTICAS PREVENTIVAS PARA O CÂNCER DO COLO UTERINO: UM ESTUDO COM MULHERES QUILOMBOLAS
Authors: Teixeira Boa Sorte, Elionara
???metadata.dc.contributor.advisor???: Nascimento, Enilda Rosendo do
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Ferreira, Silvia Lúcia
Keywords: Cuidado Cultural;Câncer do Colo Uterino;Etnoenfermagem;Saúde da Mulher;Mulher Quilombola
Issue Date: 17-Jul-2017
Abstract: A etiopatogenia do câncer do colo uterino é mundialmente conhecida e os meios de prevenção são relativamente simples e de baixo custo. Sua incidência continua alta, sugerindo que o acesso e outros fatores de ordem sociocultural estejam envolvidos neste fenômeno. Objetivouse conhecer aspectos sócio-econômico-culturais, demográficos e da saúde sexual e reprodutiva de mulheres quilombolas; descrever o conhecimento de mulheres quilombolas sobre o corpo e o câncer cervicouterino, identificando valores culturais relacionados e discutir as práticas de prevenção do câncer do colo do útero utilizadas por mulheres quilombolas. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa e que tem como objeto o cuidado preventivo de mulheres quilombolas para o câncer do colo uterino. O método utilizado foi o da etnoenfermagem e o referencial teórico a Teoria do Cuidado Cultural. O estudo foi realizado na comunidade quilombola Araçá-Cariacá, no município de Bom Jesus da Lapa, Bahia. Participaram da pesquisa 26 mulheres residentes nessa comunidade com idade igual ou maior que 18 anos. O trabalho de campo foi realizado entre julho e setembro de 2014. Foram utilizados três capacitadores para a obtenção dos dados de etnoenfermagem: observaçãoparticipação-reflexão, formulário sócio-econômico-cultural e entrevista semiestruturada. O estudo foi guiado pelo Modelo Sunrise e a análise dos depoimentos foi fundamentada na análise de dados da etnoenfermagem. A pesquisa seguiu os princípios éticos da Resolução nº 466/2012 e foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Estado da Bahia sob o nº 684.165. A comunidade dispõe de água encanada, luz elétrica, não há saneamento básico, nas casas há eletrodomésticos e os principais meios de transporte são moto e carro de linha. As mulheres do estudo são em sua maioria casadas, negras, de pouca escolaridade e baixa renda. Possuem em média três filhos/as; a maioria dos partos foram normais e realizados em hospital. Comumente não consomem bebida alcoólica e tabaco; possuem apenas um parceiro sexual, não utilizam preservativos e negam Infecções Sexualmente Transmissíveis. As mulheres demonstraram dificuldade de entendimento sobre a doença e sua localização, sendo identificada como perigosa, feia e que mata; está associada ao uso de pílulas anticoncepcionais, à não observância de cuidados tradicionais em relação ao parto e pós-parto, ao exercício livre da sexualidade pelas jovens. Muitas mulheres valorizam os cuidados profissionais e utilizam práticas culturais, como o uso de plantas para prevenção do câncer e tratamento de infecção uterina. Dificuldades de acesso aos serviços de saúde também foram destacadas. O conhecimento das condições de vida e saúde de populações específicas e do cuidado preventivo para o câncer do colo uterino por parte das mulheres quilombolas possibilita o planejamento de ações que sejam congruentes com a realidade dessas mulheres e, consequentemente, com resultados mais efetivos e eficientes.
The ethnopathogenesis of cervicouterine cancer is known worldwide, and its means of prevention are relatively simple and inexpensive. Its incidence remains high, which suggests that access and other factors of sociocultural order are involved in this phenomenon. This study aims to know social, economic, cultural, demographic aspects and sexual and reproductive health of quilombolas women; to describe the knowledge of quilombola women about its body and the uterine cervix cancer, by identifying related cultural values and discuss the practices of prevention of cervical cancer used by quilombola women. This is a descriptive study with qualitative approach which objective is the preventive care of quilombola women with the cervicouterine cancer. The method used was ethnonursing and the theoretical reference is the Theory of Cultural Care. The study was conducted in the quilombola community Araçá-Cariacá, in the city of Bom Jesus da Lapa, Bahia. Participated in the survey 26 women living in this community aged equal or over 18 years. Fieldwork was conducted between July and September 2014. Three trainers obtained the following ethnonursing data: observation-participation-reflection, socio-economic and cultural data and semi-structured interviews, beyond feminist workshop. Model Sunrise guided the study and the analysis of the reports was based on the ethnonursing data analysis. The study followed the ethical principles of Resolution nº. 466/2012 and was approved by the Ethics Committee of the Bahia State University Research under nº. 684,165. The community has piped water, electricity, no sanitation, appliances in the houses and the main transportation modes are motorcycles and car lines. The women in the study are mostly married, black-skinned, with low education and low income. They have an average of three children; most child-births were normal and performed in a hospital. In general they do not consume alcohol or tobacco; they have only one sexual partner, do not use preservatives and deny having Sexually Transmitted Deseases. The women demonstrated difficulty in understanding the disease and its location on the woman body, being identified as dangerous, ugly and “as something that kills”; it is associated with the use of birth control pills, the non-respect of traditional care for childbirth and postpartum, and the free exercise of sexuality by young people. Many women value professional care and the use of cultural practices such as the utilization of plants for cancer prevention and treatment of uterine infection. Access difficulties to health services were also reported. The knowledge of living conditions and health of specific populations and preventive care for cervicouterine cancer by the quilombola women enables the planning of actions that are congruent with the reality of these women and, consequently, more effective and efficient in results
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/23566
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGENF)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação Elionara Teixeira Boa Sorte.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA