DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Odontologia >
Programa de Pós-Graduação em Odontologia e Saúde >
Teses de Doutorado (POSDONTO) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20974

Title: Efeito da expansão rápida da maxila sobre o osso alveolar vestibular: estudo por TCFC
Authors: Barbosa, Marcelo de Castelucci e
???metadata.dc.contributor.advisor???: Campos, Paulo Sérgio Flores
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Rebello, Iêda Margarida Crusoé Rocha
Keywords: Expansão maxilar;Tomografia computadorizada de feixe cônico;Diagnóstico por imagem;Perda do osso alveolar
Issue Date: 23-Nov-2016
Abstract: Este estudo experimental tem o objetivo de avaliar, através de tomografia computadorizada de feixe cônico, alterações no osso alveolar vestibular e na inclinação dos primeiros molares superiores permanentes, após expansão rápida da maxila. Foram utilizadas 40 imagens, de 20 pacientes, com idades variando de 10 a 14 anos, sendo 15 do gênero masculino e 5 do feminino, realizadas antes e após a expansão rápida da maxila, feita com o aparelho disjuntor tipo Haas. Utilizando o programa Dolphin Imaging versão 11.0 Premium e a partir da reconstrução multiplanar, foi medida a espessura do osso vestibular às raízes dos primeiros molares, nos terços apical, médio e cervical, além da distância entre a junção amelocementária e a crista óssea alveolar. Foram medidos, também, os ângulos formados entre o longo eixo dos primeiros molares superiores e o palato. Para a análise das diferenças entre as medidas dos dois tempos, utilizou-se o teste t de Student. Para testar a associação entre as variáveis, utilizou-se a análise de correlação de Pearson, todos com nível de significância de 95%. Observou-se um aumento significativo no ângulo formado entre os primeiros molares superiores e o palato duro, assim como nas medidas de largura do palato. Não houve alterações significativas de espessura óssea vestibular aos primeiros molares, nas porções apical e média das raízes. No entanto, houve uma diminuição dessa espessura na porção cervical das raízes desses dentes. Não foram encontradas alterações na distância entre a junção amelocementária e a crista alveolar. Não houve relação das alterações na espessura da cortical óssea alveolar vestibular com a mudança de inclinação vestibulolingual desses dentes, nem com a quantidade de expansão realizada. Contudo, foi encontrada uma correlação positiva entre a diminuição de espessura da cortical óssea vestibular, na porção cervical, e a espessura inicial dessa medida. Dentre os parâmetros avaliados, a única variável que apresentou diminuição foi a espessura óssea vestibular às raízes dos primeiros molares, na porção cervical.
This longitudinal clinical study used cone beam computed tomography to evaluate changes in alveolar bone and inclination of maxillary first molars after rapid maxillary expansion. Cone beam computed tomography images of 20 patients (15 male and 5 female), aged from 10 to 14 years old, were used, captured before and after expansion with Haas type appliance. In multiplanar reconstructions made with Dolphin Imaging 11.0 Premium software, vestibular bone thickness was measured at apical, middle and cervical thirds of these roots, in addition to distance between the amelocemental junction and alveolar bone crest. Palatal width and the angles formed between the long axis of the maxillary first molars and palate were also measured. There were significant increase in the angle formed between the long axis of the maxillary first molars and palate and also in palatal width. There were no significant changes in vestibular bone thickness in the apical and middle portions of the roots. However, there was decrease in this thickness in the cervical portion. No changes were found in the distance between the amelocemental junction and alveolar crest. There was no relation between the changes in thickness of the vestibular alveolar bone and change in inclination of these teeth, or quantity of expansion performed. However, positive correlation was found between the reduction in vestibular cortical bone thickness in the cervical portion and the initial thickness of this measurement. Among the periodontal parameters evaluated, the only variable that presented any reduction was the vestibular bone thickness in the cervical portion of the first molar roots.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20974
Appears in Collections:Teses de Doutorado (POSDONTO)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE DOUTORADO MARCELO DE CASTELLUCCI.pdf6.97 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA