DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) >
Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais (PPGCS) >
Dissertações de Mestrado (PPGCS) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20965

Title: Entre a resistência e a integração: os trabalhadores mineiros de Huanuni e o Governo Evo Morales
Authors: Rocha, Joallan Cardim
???metadata.dc.contributor.advisor???: Silva, Jair Batista da
Keywords: Resistência;Integração;Mineiros;Evo Morales;Integration;Miners workers;Resistance
Issue Date: 18-Nov-2016
Abstract: No distrito mineiro de Huanuni se encontra a mais importante mina de estanho do país, com aproximadamente 4500 trabalhadores mineiros. Esse estudo buscou analisar a relação dos trabalhadores mineiros de Huanuni com o governo Evo Morales entre os anos 2006 e 2014, com o objetivo de investigar as contradições, conflitos, tensões, dilemas, acordos, negociações, integração e enfrentamentos que envolveram esta complexa relação. Os mineiros de Huanuni, a partir de uma acumulação histórica prévia, recriadas através de uma memória coletiva, presenciaram na última década uma recuperação paulatina do seu protagonismo capaz de projetar-se novamente na vida política nacional. Este processo de recuperação ou revitalização coincide com a chegada à presidência do país, em janeiro de 2006, do dirigente sindical camponês, Evo Morales. A revitalização política e sindical dos trabalhadores mineiros de Huanuni se articulou com a retomada das lutas sociais e populares na Bolívia, a partir dos anos 2000. Estas rebeliões populares se deram em torno à distintas demandas, como a nacionalização dos recursos naturais, a luta contra a privatização da água e a nacionalização das minas. Os conflitos protagonizados pelos trabalhadores mineiros de Huanuni foram uma fonte permanente de instabilidade política e social durante o governo Evo Morales. A partir de 2006, os mineiros de Huanuni e o sindicato se tornaram uma importante referência política e sindical para o conjunto do movimento operário boliviano. Para realizar a pesquisa nos apoiamos em um conjunto de técnicas e métodos, como a análise documental, revisão bibliográfica, observação direta, entrevistas semiestruturadas e a utilização de material iconográfico e áudio visual. Nossa hipótese é de que a experiência dos trabalhadores mineiros com o estado e os governos ao longo do século XX, expressadas em uma memória histórica e coletiva incide diretamente na relação entre os trabalhadores mineiros de Huanuni e o governo Evo Morales. A memória, a história e as tradições, reforçaram entre os mineiros de Huanuni, velhas identidades, crenças, costumes e práticas políticas e sindicais que pareciam ter desaparecido. Essas “tensões dialéticas” explicam em grande medida, a conflituosa relação dos mineiros de Huanuni com o Governo Evo Morales, que se caracterizou, em alguns momentos, por uma aproximação e integração, em outros, pelo afastamento e a resistência a incorporar-se ao governo e ao Processo de Cambio. In the mining district of Huanuni is located the most important tin mine in the country with approximately 4,500 miners. This study investigated the relationship of the Huanuni miners with Evo Morales' government between 2006 and 2014. It analyzed contradictions, conflicts, tensions, dilemmas, agreements, negotiations, co-optation and confrontations involving this complex relation. The Huanuni miners witnessed a gradual recuperation of their lidership in the last decade that was able to protude them again in the national political scene. From a previous historical accumulation, they recreated these rememberance through a collective memory. This process of recovery or revival coincides with the arrival of a peasant union leader, Evo Morales, to the presidency of the country in January 2006. The political and trade union revitalization of Huanuni miners has been linked to the resurrection of social and popular struggles in Bolivia, from the 2000s, around of the different popular demands as the nationalization of natural resources, the struggle against water privatization and the nationalization of mines. The conflicts leaderd by the Huanuni miners were a permanent source of political instability during the Evo Morales' government. Since 2006, the Huanuni miners workers and the trade union have become an important political reference for the whole Bolivian labor's movement. Therefore, this research is supported of a set of techniques and methods, such as documental analysis, literature review, direct observation, semi-structured interviews and the use of iconographic and audio visual material. The hypothesis of this study is that the experience of the miners workers with State and governments through the twentieth century directly affects the relationship between Huanuni miners workers and Evo Morales' government that is expressed in a historical and collective memory of the miners. Memory, history and traditions, reinforced between Huanuni miners old identities, beliefs, customs and political and union trade practices that seemed to have disappeared. These "dialectical tensions" largely explain the tense and conflictual relationship between the miners workers and Evo Morales' government. Sometimes this relationship had been characterized by an approach and integration, sometimes for distance and resistance to be incorporated into the government.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20965
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGCS)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação de Jollan Cardim Rocha.pdf10.17 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA