DSpace

RI UFBA >
Escola de Administração >
Núcleo de Pós-Graduação em Administração (NPGA) >
Teses de Doutorado (NPGA) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20203

Title: Esforço discricionário no trabalho: um estudo à luz da teoria da ação planejada
Authors: Gonzalez, Ricardo Alonso
???metadata.dc.contributor.advisor???: Bruni, Adriano Leal
Keywords: Atitude;Comportamento Organizacional;Esforço Discricionário no Trabalho;Intenção;Norma Social;Teoria da Ação Planejada;Attitude;Organizational Behaviour;Discretionary Work Effort;Intention;Social Norm;Theory of Planned Behavior
Issue Date: 30-Aug-2016
Abstract: Esta tese, fundamentada na Teoria da Ação Planejada, tem o objetivo de desenvolver um modelo que explicasse a influência das atitudes individuais, das normas sociais subjetivas e do controle comportamental percebido na intenção do indivíduo em empregar esforço discricionário no trabalho. O esforço discricionário no trabalho pode ser entendido como aquele nível de esforço que se encontra sob o domínio do indivíduo, que excede ao mínimo necessário para se evitar uma repreensão ou mesmo uma demissão, cabendo unicamente ao indivíduo a decisão de exercê-lo. Esse nível de esforço, sob total controle do indivíduo, pode ser motivado por diversos fatores, que possuem como base as crenças. Como fundamento teórico para se determinar esses fatores, buscou-se na Teoria da Ação Planejada os seus antecedentes. Foram desenvolvidos dois estudos empíricos como forma de se alcançar ao objetivo pretendido. O primeiro estudo, de natureza qualitativa, evidenciou as crenças salientes relacionadas ao esforço discricionário no trabalho associadas às atitudes individuais, às normas sociais subjetivas e ao controle comportamental percebido referente a tal esforço, evidenciando em ambos os grupos estudados contribuições favoráveis das atitudes, da norma social subjetiva e do controle comportamental percebido sobre a intenção de empregar esforço discricionário no trabalho. O segundo estudo, de natureza quantitativa, buscou evidenciar o efeito das atitudes individuais, das normas sociais subjetivas e do controle comportamental percebido sobre a intenção do indivíduo em empregar esforço discricionário no trabalho. Utilizaram-se duas amostras, uma composta por servidores públicos estaduais e outra por professores de Instituições de Ensino Superior públicas e privadas. Os resultados obtidos por meio de modelagem de equações estruturais apontaram em ambas as amostras significância estatística na relação entre as atitudes, a norma social subjetiva e o controle comportamental percebido sobre a intenção, confirmando a tese de que a intenção pode ser determinada por esses constructos. Dentre outros, indicaram, também, que crenças de natureza social influenciam mais na intenção do que crenças de natureza financeira. Os resultados apontaram que os indivíduos empregam esforço discricionário no trabalho motivados mais por satisfação pessoal, reconhecimento, influência de superiores e colegas, suporte organizacional e outras crenças de natureza social do que por uma expectativa de remuneração financeira ou por estarem sendo monitorados. Tais resultados contribuem com o campo da Administração na medida em que trazem ao debate o esforço discricionário no trabalho e abre espaço para várias possibilidades de pesquisa envolvendo o tema.
This thesis, based on the Theory of Planned Behavior, aims to develop a model to explain the influence of individual attitudes, subjective social norms and perceived behavioral control on the individual's intention to employ discretionary work effort. The discretionary work effort can be understood as a level of effort that is under the domain of the individual, which exceeds the minimum necessary to avoid a reprimand or even dismissal, it depends only on the individual's decision to exercise it. This level of effort under full control of the individual, may be motivated by several factors, which are based on the beliefs. As a theoretical basis for determining these factors, it sought the Theory of Planned Behavior. Two empirical studies were developed as a way to achieve the desired goal. The first study, qualitative, highlighted the salient beliefs related to the discretionary work effort associated with individual attitudes, subjective social norms and perceived behavioral control. The results showed in both studied groups favorable to contributions of attitudes, subjective social norms and perceived behavioral control on the intention to employ discretionary work effort. The second study, quantitative, sought to highlight the effect of individual attitudes, subjective social norms and perceived behavioral control on the intention of the individual to employ discretionary work effort using two samples, one composed of state civil servants and another for teachers of higher public and private education institutions. The results obtained by structural equation modeling showed in both samples statistically significant relationship between attitudes, social subjective norm and perceived behavioral control on the intention, confirming the thesis that the intention may be determined by these constructs. Among others results, it indicates that social beliefs are stronger than finance ones. The results showed that individuals employ discretionary work effort motivated more by personal satisfaction, recognition, influence of superiors and colleagues, organizational support and other social beliefs than by an expectation of financial remuneration or because they are being monitored. These results contribute to the field of management as they bring to the debate the discretionary work effort and opens space to various research possibilities involving the theme.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20203
Appears in Collections:Teses de Doutorado (NPGA)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Gonzalez, Ricardo Alonso.pdf5.06 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA