DSpace

RI UFBA >
Instituto de Ciências da Saúde - ICS >
Programa de Pós-Graduação em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas (PPGORGSISTEM) >
Dissertações de Mestrado (PPGORGSISTEM) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20189

Title: Avaliação de parâmetros hematológicos e cinética da produção de anticorpos anti-dea 1.1 em cães pós-transfundidos
Authors: Santos, Suzana Cláudia Spínola dos
???metadata.dc.contributor.advisor???: Costa, Maria de Fátima Dias
Keywords: Aloanticorpos;Anticorpos Caninos;DEA 1.1;Transfusão de sangue em cães
Issue Date: 30-Aug-2016
Abstract: Na Medicina Veterinária, em situações emergenciais, os cães doadores de sangue não são muito numerosos e a escassez dos mesmos leva a transfusões de sangue dos animais disponíveis, sem sequer dar a atenção para seu tipo sanguíneo. Mas, para os animais que serão submetidos a uma segunda transfusão ou outras, a presença de aloanticorpos é um sinal de alerta para que apenas recebam sangue de cães compatíveis ou de mesmo tipo sanguíneo. Foram pesquisados anticorpos antieritrocitários em trinta e três cães transfundidos em uma única vez com o sangue do grupo DEA 1.1, por meio da citometria de fluxo e comparou-se os resultados com os da prova de reação cruzada lenta em tubos dos mesmos com sangue DEA 1.1. Para a realização desse objetivo central procedeu-se testes de tipificação sanguínea por cromatografia em sangue estocado de doadores para classificar os mesmos em DEA 1.1 positivo e DEA 1.1 negativo; prova de reação cruzada nos dias 7, 14, 21 e 28 após o recebimento da transfusão sanguínea; e nessas mesmas datas foram traçados perfil hematológico e bioquímico dosando creatinina e gama-glutamil transferase (γGT) para avaliação de cada animal pesquisado. Com esses testes, determinou-se a positividade e negatividade dos soros testados e foi possível mensurar a intensidade das reações positivas com relação ao tempo decorrido da primeira exposição ao antígeno DEA 1.1. Foi encontrada uma associação entre os resultados da citometria de fluxo e a prova de reação cruzada sendo que os achados da citometria de fluxo apresentaram grande especificidade e os da prova de reação cruzada mais sensibilidade, podendo confundir o resultado de produção de anticorpos com reações autoimunes. Com isso concluiu-se que a citometria de fluxo é uma técnica eficaz para a pesquisa de anticorpos anti DEA 1.1 positivo.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20189
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGORGSISTEM)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Suzana Claudia Spínola dos Santos PDF Final.pdf1.48 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA