DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Medicina da Bahia >
Pós-Graduação em Ciências da Saúde (POS_CIENCIAS_SAUDE) >
Teses de Doutorado (POSSAUDE) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20125

Title: Estudo da infecção e resposta imune a Porphyromonas gingivalis e do perfil imunogenético em mestiços brasileiros portadores de periodontite crônica
Authors: Tunes, Urbino da Rocha
???metadata.dc.contributor.advisor???: Lemaire, Denise Carneiro
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Freire, Songeli Menezes
Keywords: Periodontite;Porphyromonas gingivalis;Resposta imune;Perfil imunogenético
Issue Date: 23-Aug-2016
Abstract: Periodontite é uma doença multifatorial que se inicia e é mantida pela agressão das bactérias periodontopatogênicas do biofilme dental subgengival, cuja forma de manifestação clínica é dependente do tipo de resposta imuno-inflamatória provocada pela complexa interação patógenohospedeiro. Dentre essas bactérias, a Porphyromonas gingivalis tem sido associada com o início e progressão da DP, principalmente em indivíduos adultos. Ademais, há evidências de que variações na resposta imune do hospedeiro estão, em parte, sob controle genético. Diante disto, foram objetivos do presente trabalho: ① identificar a presença de Porphyromonas gingivalis no biofilme subgengival; ② avaliar a produção de IL-10 e IFN-g em cultura de células de sangue total (CCST) sob estímulo com extrato dessa bactéria, bem como a produção de IgA, IgG e subclasses (IgG1, IgG2, IgG3, IgG4); ③ avaliar os polimorfismos dos genes das citocinas IL-1b+3953C/T, TNFa-308G/A, IL-6-174G/C, TGF-b1códons 10T/C e 25G/C, IFN-γ+874T/A e IL-10-1082G/A,-819C/T,-592C/A, e do HLA-DR, -DQ, associando esses achados com a periodontite crônica severa. Oitenta e quatro indivíduos não-fumantes, idade de 30 a 50 anos, de ambos os gêneros, foram selecionados para o estudo: 43 pacientes com periodontite crônica severa constituíram o grupo caso (PCS) e 41 pacientes sem periodontite, o grupo controle (NP). Parâmetros clínicos periodontais foram avaliados. Amostras do biofilme subgengival foram coletadas para identificação da presença de P.gingivalis, usando-se a técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR). Para identificação dos polimorfismos citados, foi extraído o DNA genômico de amostras de sangue periférico, sendo a genotipagem realizada também pela PCR. Dos voluntários selecionados, levando em conta o leucograma respectivo, CCST foi realizada com amostras sangüíneas de 35 indivíduos, 18 do grupo PCS e 17 do grupo NP, estimulada com antígenos bacterianos. As concentrações das citocinas nos sobrenadantes e das imunoglobulinas séricas foram determinadas utilizando-se o teste ELISA. A análise estatística foi realizada usando os testes t-student, Mann- Whitney, Teste de Correlação de Spearman e Teste Exato de Fisher. Foi detectada a presença de P.gingivalis em 29 (67,4%) dos pacientes do grupo PCS enquanto que a presença deste periodontopatógeno não foi observada em nenhum dos indivíduos do grupo NP. Os antígenos testados induziram altas concentrações de IL-10, e baixa de IFN-γ, especialmente P.gingivalis. CCST do grupo PCS apresentou significativamente (p<0,05) maior produção de IL-10, do que do grupo NP, quando foi estimulada com LPS de E.coli e extrato de P.gingivalis. Quanto à resposta imune humoral, os níveis séricos de IgG, IgG1, IgG4 (p£0,001) e IgG2 (p£0,05) anti-P.gingivalis foram significantemente mais elevados no grupo PCS em comparação ao grupo NP. Nos polimorfismos estudados foram encontradas diferenças estatisticamente significativas nas freqüências alélicas, genotípicas e fenotípicas entre os indivíduos do grupo PCS e NP em relação ao gene da IL-1b+3953(C/T); o genótipo homozigoto para o alelo 1 (CC), fenótipo previsto como baixo produtor, teve freqüência significativamente maior (p=0,03) no grupo NP (81,48%) do que no PCS (65%); inversamente, e com tendência de significância estatística (p=0,08), o alelo 2 da IL-1b+3953(T), fenótipo previsto como alto produtor, estava associado mais ao grupo PCS (21,25%) do que ao NP (10,53%). Foi também observada uma freqüência significativamente maior (p<0,05) do alelo HLA-DQB1*05 nos indivíduos do grupo NP em relação ao grupo PCS. A produção elevada de IL-10 e baixa de IFN-γ na CCST estimulada com extrato bruto de P.gingivalis dos pacientes do grupo PCS, bem como elevados níveis de IgG4 anti-Pg, podem sugerir que este periodontopatógeno desvia a resposta imune para um perfil Th2. Por sua vez, os resultados dos polimorfismos sugerem que o genótipo homozigoto para o alelo 1 (CC) da IL-1b+3953(C) pode ser um fator de proteção, assim como o alelo HLA-DQB1*05, e que o alelo 2 IL-1b+3953(T) pode ser um fator de risco para o desenvolvimento da periodontite crônica severa, em mestiços brasileiros.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20125
Appears in Collections:Teses de Doutorado (POSSAUDE)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese_ICS_ Urbino da Rocha Tunes.pdf1.07 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA