DSpace

RI UFBA >
Instituto de Psicologia >
Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPSI) >
Teses de Doutorado (PPGPSI) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/18992

Title: Transição para a maternidade em diferentes contextos socioculturais: a experiência de mães brasileiras no Brasil e nos EUA
Authors: Takei, Roberta Ferreira
???metadata.dc.contributor.advisor???: Bastos, Ana Cecília de Sousa Bittencourt
Keywords: Transições;Maternidade;Migração;Cultura;Self dialógico;Transitions;Motherhood;Migration;Culture;Dialogical self
Issue Date: 28-Apr-2016
Abstract: Este estudo busca analisar os significados sobre maternidade construídos por mulheres brasileiras que foram mães em dois contextos socioculturais diferentes: Brasil e Estados Unidos. Insere-se dentro de um projeto-matriz mais amplo, “Transições familiares como eventos narrativos: um estudo comparativo transgeracional” (CNPq), coordenado pela Dra. Ana Cecília de Sousa Bastos (Instituto de Psicologia, UFBA) e envolvendo uma parceria com os Drs. Jaan Valsiner e Roger Bibace (Clark University, Massachussets), e representa a primeira aproximação sistemática a uma análise intercultural, comparativa. Sendo um estudo de casos múltiplos, focalizando as narrativas destas mães, pretende-se compreender a experiência de maternidade e seus circunscritores culturais, bem como a mediação entre a cultura individual e coletiva, aplicando a figura da migração como uma metáfora à transição para a maternidade. O presente estudo adota um setting de conversação como espaço privilegiado para a coleta de dados. Foram participantes desse estudo 14 mulheres, conformando dois grupos de casos: sete mulheres brasileiras que tiveram filhos no Brasil e sete mulheres brasileiras migrantes que tiveram filhos nos EUA. A análise de dados se deu a partir da construção de sinopses das entrevistas e de categorias temáticas, que estruturam a descrição comparativa da experiência das mulheres nos dois contextos, através dos critérios de a familiaridade com os recursos da cultura no que concerne às informações e práticas relativas à gravidez e ao parto e à aproximação ou distanciamento com os valores da cultura local, utilização de recursos simbólicos e práticos, redes sociais e relações de afeto. Além disso, utilizou-se da abordagem do Self Dialógico para uma aproximação microgenética da dinâmica do Self na transição para a maternidade, considerando em maior profundidade dois dos casos analisados. Espera-se que os resultados obtidos permitam compreender as especificidades da transição para a maternidade, e do parto enquanto um marcador crucial deste processo, a partir dos circunscritores socioculturais dos dois contextos, possibilitando discutir o processo mais geral através do qual as práticas e discursos normativos de cada cultura são negociados no âmbito individual e familiar. A discussão afunila-se considerando um aspecto específico: a emergência do protagonismo da mulher que se torna mãe. This study aims at analyzing the meanings of motherhood built by Brazilian women who had delivered children in two different socio-cultural contexts: Brazil and US. It is part of a bigger project called “Family transitions as narrative events: a comparative transgenerational study” (CNPq), coordinated by Dr. Ana Cecilia de Sousa Bastos (Institute of Psychology, UFBA) and involving a partnership with Drs. Jaan Valsiner and Roger Bibace (Clark University, Mass.), and it is the first systematic approach to an intercultural, comparative analysis. As a multiple case study, focusing on mothers ‘narratives, it intends to understand the experience of motherhood and their cultural constraints, as well as the mediation between the individual and the collective culture, adopting the figure of migration as a metaphor to explain the transition to motherhood. The present study adopts a conversational setting to data collecting, and 14 women had been interviewed. These participants belong to two groups: seven Brazilian women who had their children in Brazil and seven migrant Brazilian women who had their children in US. Data analysis is based on the construction of summaries of the interviews and categories that structure the comparative description of women’s experience in the two contexts, using as criteria the degree of familiarity with the resources of culture in relation to information and practices relating to pregnancy and childbirth, the levels of adherence to the values of local culture, the possibility of using symbolic and practical contextual resources, the availability of social networks and affective relationships. The Dialogical Self Theory is the theoretical tool managed in order to have a microgenetic approach of the dynamics of the Self in the transition to motherhood, considering in depth two of the cases analyzed. The results allow understanding the specificities of the transition to motherhood, having childbirth as a central sign along this process, based on the socio-cultural constraints of the two contexts, and allowing to discuss the more general process by which practices and discourses norms of each culture are negotiated at the individual and family levels. The discussion narrows down considering a specific aspect: the emergence of agency for the woman who becomes a mother.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/18992
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGPSI)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese de Roberta Takei.pdf2.1 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA