DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) >
Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) >
Dissertações de Mestrado (PPGA) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12799

Title: "Eu sou marisqueira, lavradora e quilombola": uma análise do processo de construção da identidade nas comunidades rurais do Guaí, Maragojipe, Bahia
Authors: Zagatto, Bruna Pastro
???metadata.dc.contributor.advisor???: Parés, Luis Nicolau
Keywords: Identidade;Etnicidade;Memória;Comunidade quilombola;Território;Agência;Mediação cultural;Agenciamento simbólico-discursivo;Identity;Ethnicity;Memory;Maroon communities;Territory;Agency;Cultural mediations
Issue Date: 2011
Abstract: Na última década, inúmeras comunidades rurais brasileiras se autorreconheceram como remanescentes de quilombos, dentre elas, seis localizadas no distrito do Guaí em Maragojipe, Bahia, que foram objeto deste estudo. No processo de "se tornar" quilombola, as diferenças das comunidades Guaí foram produzidas sobretudo nos espços de interação intercultural entre agentes comunitários e agentes governamentais, tais como reuniões políticas para identificação da história e do território quilombola. Esta dissertação lançou luz justamente sobre esse locus da mediação cultural, com o objetivo de analisar a construção simbólico-discursiva da identidade e da memória, em que os agentes políticos de constituíram como mediadores simbólicos das diferenças. Nesse sentido, a atenção se voltou principalmente para as narrativas sobre o passado do Guaí, em que as trajetórias individuais ganharam caráter cada vez mais coletivo que resultaram na emrgência de novos líderes comunitários e na construção da história das comunidades quilombolas do Guaí. Nesse processo, os líderes comunitários assumiram o importante papel na articulação de diferenças particulares, sobretudo ligadas ao modo de vida do pescador/marisqueira e do lavrador(a), com categorias generalizadoras, como raça, tradição e cultura, buscando construir consensos em torno dos modos de apresentação e representação do grupo. Em decorrência disso, 'ser negro" e "ser da roça e da maré" foram ressignificados, passando de uma condição de inferioridade para a de dignidade coletiva e com possibilidade do acesso a direitos. Por fim, esse estudo apresenta como os impasses gerados pela possibilidade da coletivização do título da terra e a falta de retorno do Estado frente as demandas materiais do grupo impactam a auto-identificação quilombola no Guaí. The present work aimed to study the relationship of Pankararé people with the environment in which they live. It is an ethnography focused on natural resource management as well as in the perception and attribution of meaning to the natural elements of the territory by the indigenous group. For this I used literature sources and ethnographic material. The study took place on the indigenous land Pankararé and the indigenous land Brejo do Burgo, located on the municipalities of Paulo Afonso, Glória and Rodelas (Bahia), where about 1,500 people live.The region, known as Raso da Catarina, is one of the driest of the semi-arid region of Bahia where predominates the Caatinga biome. The Pankararé people inhabited this region for several generations and thus developed a comprehensive and detailed knowledge of the territory. This body of knowledge about natural resources - such as the classification of plants and animals - as well as land use and perception are part of a dynamic subordinated to an outstanding feature of the local ecology: the existence of two complementary environments, the brejo (swamp) "civilized" and the raso (shallow) "raw" (wild). This opposition is not only restricted to the environmental character, but also follows the criteria of social and symbolic relevance. In this sense, the study also aimed to investigate the expressions involving "to live of the agriculture" - associated with living in the brejo - and "to live of the forest" - referring to the way of life typical of the raso. Thus, I performed a review of studies on ethnobiology and ethnoecology about the Pankararé, followed by field research, based on participant observation, in order to deepen both the understanding of the use of the resources of the raso as to describe the knowledge and techniques management involved in agricultural work and therefore how these two worlds are intertwined in the integrated management of the indigenous territory.
Description: 176f.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12799
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGA)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação Mestrado Bruna Zagatto.pdf2.45 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA