DSpace

RI UFBA >
Instituto de Ciências da Saúde - ICS >
Programa de Pós-Graduação em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas (PPGORGSISTEM) >
Dissertações de Mestrado (PPGORGSISTEM) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12555

Title: Maloclusões, tipo facial e avaliação muscular em escolares de 7 a 12 anos de idade
Authors: Ribeiro, Camila de Oliveira
???metadata.dc.contributor.advisor???: Araújo, Roberto Paulo Correia de
Keywords: Má oclusão;Epidemiologia;Odontologia em saúde pública
Issue Date: 3-Dec-2012
Publisher: Programa de Pós Graduação - Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas
Abstract: A acentuada redução da cárie, em crianças e adolescentes, fez com que os programas de assistência e as políticas em saúde bucal também fossem direcionados aos outros problemas bucais como as maloclusões. Neste contexto, o vigente estudo adotou, além da avaliação oclusal através do Índice de Estética Dentária (IED) que classifica o paciente em quatro graus de severidade de maloclusão, a antropometria, baseada nas medidas de largura e altura da face utilizando um paquímetro digital e a eletromiografia como recurso para avaliar a função muscular, visto que este método surge com a possibilidade de analisar a atividade elétrica muscular de forma objetiva. Diante destes aspectos, este estudo se propôs a realizar um levantamento epidemiológico no município de São Francisco de Conde – Bahia em 324 crianças de 7 a 12 anos de idade, a fim de avaliar o panorama oclusal em associação com o tipo facial e a avaliação muscular. Os resultados mostraram que apenas 22,8% dos pacientes apresentavam oclusão normal ou leve alteração oclusal, 21% oclusão definida, 20,1% maloclusão severa e 36,1% destes pacientes apresentaram maloclusão muito severa ou deformadora. Quanto ao tipo de face, 10,2% dos pacientes foram categorizados como braquicefálicos, 16,4% como mesocefálicos e, a maioria, 73,5% como dolicocefálicos. Já em relação ao padrão muscular, avaliando o músculo Temporal anterior, foram observadas diferenças estatisticamente significantes entre os lados direito e esquerdo do próprio paciente (p=0,032), 106,83 para o lado direito e 112,36 para o esquerdo. A avaliação do músculo Masseter não apresentou diferenças entre os lados (p=0,479), a média para o lado direito foi de 128,14 e para o lado esquerdo de 130,36. A análise comparativa da severidade da maloclusão com o tipo de face mostrou que a maloclusão muito severa ou deformadora estava mais presente no padrão dolicofacial (p=0,039). Já a comparação do grau de comprometimento da oclusão com o potencial elétrico dos músculos Temporal Anterior e Masseter não mostrou diferenças estatisticamente significantes. Esta realidade mostra que o serviço público de saúde bucal deve abranger tratamentos especializados, inclusive ortodônticos, visto que a população não terá acesso a este tipo de acompanhamento no serviço privado em virtude do custo destes procedimentos. A ortodontia no Sistema Único de Saúde merece ser mais discutida, seja pela importância biológica, psicossocial e econômica das maloclusões dentárias ou devido ao advento do controle das cáries. O tratamento corretivo e a interceptação das maloclusões deverão estar entre as ações de saúde bucal no sistema público, como já acontece em vários países desenvolvidos.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12555
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGORGSISTEM)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
CamilaFinal.pdf2.37 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA