DSpace

RI UFBA >
Instituto de Ciências da Saúde - ICS >
Programa de Pós-Graduação em Imunologia - (PPGIM) >
Teses de Doutorado (PPGIM) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12180

Title: Avaliação imuno-histoquímica de células de Langerhans e angiogênese em ameloblastoma e angiogênese em ameloblastoma e Carcinoma espinocelular de boca
Authors: Santos, Luciano Cincurá Silva
???metadata.dc.contributor.advisor???: Nascimento, Ivana Lúcia de Oliveira
Keywords: Ameloblastoma;;Carcinoma Espinocelular;;Angiogênese;;Células de Langerhans;;Imuno-histoquimica.
Issue Date: 12-Jul-2013
Abstract: O ameloblastoma (AB) e o carcinoma espinocelular (CEC) são tumores benignos e malignos, respectivamente, que acometem os ossos e tecidos maxilares, com propriedades de invasibilidade consideráveis levando a tratamento muitas vezes mutiladores. As células de Langerhans (CLs) são células dendríticas, responsáveis pela apresentação de antígenos aos Linfócitos T, que desempenham importante função nos tecidos epiteliais, bem como na patogênese dessas lesões. O presente estudo analisou a expressão das células de Langerhans, utilizando a técnica imuno-histoquímica através dos marcadores imunológicos CD1a e Langerina, bem como a expressão da angiogênese utilizando o anticorpo CD34, em 25 casos de ameloblastoma (AB) e 23 casos de carcinoma espinocelular (CEC). As células dendríticas foram observadas em 88 % dos ameloblastomas e em 100% dos carcinomas espinocelulares, mostrando associação estatisticamente significante (p-valor<0,001). Tanto nos ameloblastomas como nos carcinomas espinocelulares, as CLs exibiram formas arredondada e dendrítica, em todas as camadas epiteliais, com predominância desta última na camada suprabasal. Apesar de existir uma correlação inversa entre a microdensidade vascular (MDV) e a densidade de CLs, nos CECs, e uma correlação direta entre esses mesmos parâmetros, nos ABs, não foi observada representatividade estatística entre essas correlações. Dos resultados obtidos conclui-se que as células de Langerhans parecem influenciar na imunopatogênese das lesões aqui estudadas, possivelmente com um papel modulador nos carcinomas espinocelulares e inflamatório nos ameloblastomas.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12180
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGIM)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese_ICS_ Luciano Silva Santos.pdf66.69 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA