DSpace

RI UFBA >
Instituto de Saúde Coletiva - ISC >
Teses de Doutorado (ISC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10910

Title: Problemas de comportamento, resiliência e sobrepeso/obesidade em adolescentes: estudando um contexto de transição urbano-rural.
Authors: Boa Sorte, Ney Cristian Amaral
???metadata.dc.contributor.advisor???: Santos, Darci Neves dos
Keywords: Epidemiologia;Comportamento do adolescente;Obesidade;Resiliência psicológica;Estudos transversais;Epidemiology;Adolescent behavior;Obesity;Resilience;Psychological;Cross-Sectional studies;Saude publica
Issue Date: 2011
Publisher: Programa de pós-graduação em Saúde Coletiva
Abstract: Introdução: A obesidade representa um crescente problema de saúde pública entre adolescentes, sendo geralmente atribuída ao consumo alimentar inadequado e mudanças no estilo de vida, associados à predisposição genética. Contudo, outros mecanismos de origem sócio-econômica, emocional e comportamental também se relacionam com o excesso de peso. Os problemas emocionais e de comportamento, cuja prevalência em áreas não urbanas é pouco conhecida, podem se associar ao ganho excessivo de peso na adolescência pela ação direta sobre componentes do funcionamento neuroendócrino, mas ainda existem lacunas nesta área, em especial no papel dos fatores de proteção, como a resiliência. Objetivos: Estimar a prevalência de alterações emocionais e comportamentais entre adolescentes escolares de uma área semi-rurais, conforme gênero, idade e cor da pele e investigar a relação entre problemas emocionais e comportamentais e o excesso de peso, verificando o papel do gênero e da resiliência do adolescente nesta relação; Metodologia: Tese composta por três artigos independentes, que apresentam os problemas emocionais e de comportamento (PEC) como aspecto comum. Estes foram identificados através da aplicação do Youth Self Report/11-18 (YSR/11-18). Os dados foram obtidos em corte transversal, através de censo escolar (960 adolescentes) em distrito de características de transição urbano-rural, obtendo representatividade dos adolescentes escolares da região. O primeiro artigo descreve a prevalência de problemas emocionais e de comportamento entre adolescentes de área de transição urbano-rural, com ênfase nas diferenças entre os gêneros. As razões de prevalência foram ajustadas pela idade, cor da pele e série escolar. O segundo artigo, utilizando a análise fatorial exploratória, descreve a estrutura fatorial do YSR/11-18 em relação às oito síndromes originalmente descritas. O terceiro artigo investigou a associação entre problemas de comportamento e sobrepeso/obesidade, avaliando o papel do gênero e da resiliência nessa associação. Resiliência foi mensurada com a Escala de Resiliência desenvolvida por Wagild & Young. A associação foi investigada através de modelos multivariados utilizando regressão de Poisson. Resultados: Artigo 1 - Foram observados maiores escores do YSR/11-18 para problemas de comportamento entre as meninas, exceto para a escala “violação de regras”. A prevalência de PEC foi maior entre as meninas (RP: 1,61; IC95%:1,06–2,46), que também tiveram mais problemas com o contato social (RP: 2,88; IC95%:1,51–5,51). Artigo 2 - Agrupamento dos itens da escala “problemas de atenção” não foi obtido. Cinco itens da escala “problemas com o contato social” formaram um único fator com itens das escalas “ansiedade/depressão” e VIII “retraimento/depressão”, sugerindo uma dimensão de problemas de internalização. A dimensão externalização agrupou-se em dois fatores, afastando-se das características originais das escalas “comportamento agressivo” e “violação de regras”. Por outro lado, para problemas somáticos e problemas com o pensamento observou-se correspondência com a escala original. Artigo 3 - Encontrou-se associação positiva entre total de problemas de comportamento e excesso de peso, após ajuste para potenciais confundidores (RP: 1,74; IC95% 1,20 – 2,52). O gênero funcionou como modificador de efeito nesta relação, observando-se esta associação apenas entre meninas (RP: 1,90; IC95% 1,28 – 2,84), achado também encontrado para os problemas de internalização (RP: 1,60; IC95% 1,11 – 2,32) e de externalização (RP: 1,62; IC95% 1,03 – 2,55). A força da associação entre o total de problemas de comportamento e excesso de peso foi 65% maior entre jovens com baixa resiliência. Conclusão: Os problemas de comportamento foram relevantes entre adolescentes de área de transição urbano-rural e se associaram com a presença de excesso de peso. A modificação de efeito observada para o gênero e a resiliência alerta para o direcionamento de ações preventivas e de tratamento ao nível de saúde pública.
Description: p. 1-160
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10910
Appears in Collections:Teses de Doutorado (ISC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
3333333333.pdf3.28 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA