DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Odontologia >
Programa de Pós-Graduação em Odontologia e Saúde >
Dissertações de Mestrado (POSDONTO) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10485

Title: Avaliação epidemiológica do traumatismo bucomaxilofacial em uma amostra populacional do estado da Bahia, Brasil.
Authors: Mattos, Allex Morelli Heiderich de
???metadata.dc.contributor.advisor???: Campos, Paulo Sérgio Flores
Keywords: Ossos Faciais;;Traumatismos Maxilofaciais;;Epidemiologia.
Issue Date: 7-May-2013
Abstract: O traumatismo bucomaxilofacial é um importante problema de saúde pública influenciado por fatores de ordem social, cultural e econômico. Cada região apresenta características próprias, o que justifica a necessidade de pesquisas sobre o tema. Foi realizado um estudo transversal com o objetivo de delinear o perfil epidemiológico do traumatismo bucomaxilofacial em uma amostra populacional do estado da Bahia. Foram avaliados, prospectivamente, 810 pacientes que apresentavam fraturas dos ossos da face e lesões dentoalveolares, atendidos pelo Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial do Hospital Santo Antônio (HSA), em convênio com o Hospital Geral do Estado (HGE). Constatou-se que o traumatismo de face ocorreu predominantemente em homens (81,9%), pessoas de cor parda (49%), solteiros (68,3%), indivíduos com ensino fundamental (47,4%), trabalhadores (62,7%) e em pessoas na faixa etária de 20 a 29 anos (37,1%). As causas violentas e os acidentes de trânsito foram os principais fatores etiológicos (77,4%). A mandíbula (28,5%), os ossos nasais (27,9%) e o zigoma (26,2%) foram os ossos da face mais acometidos por fraturas. As lesões dentoalveolares mais prevalentes foram as fraturas coronárias (23,1%) e a avulsão (23,1%). Analisando as associações entre as fraturas e os fatores socioeconômicos e demográficos, encontrou-se diferença estatisticamente significativa na ocorrência das fraturas de frontal, que foram mais prevalentes nos indivíduos com baixa escolaridade; fraturas de maxila, mais prevalentes no sexo masculino; fraturas de zigoma, mais prevalentes entre os homens, indivíduos de idade mais avançadas e que consomem bebida alcoólica; fraturas de mandíbula, mais prevalentes entre os indivíduos entre 20 e 59 anos, entre os que foram vítimas de assalto e os que sofreram o traumatismo devido a causas externas. As lesões dentoalveolares foram significativamente mais prevalentes nas mulheres, nos mais jovens, nos analfabetos, nos indivíduos que não usavam o cinto de segurança, acontecendo predominantemente no período diurno.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10485
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (POSDONTO)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_ODONTO_Allex Mattos.pdf3.48 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA