Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/8929
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira Júnior, Hamilton de Moura-
dc.contributor.authorSantos, Luciano Damasceno-
dc.creatorSantos, Luciano Damasceno-
dc.date.accessioned2013-03-14T13:21:03Z-
dc.date.available2013-03-14T13:21:03Z-
dc.date.issued2005-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8929-
dc.description159f.pt_BR
dc.description.abstractEsta dissertação discute o papel da proximidade territorial no processo de desenvolvimento produtivo e inovativo de empresas inseridas em aglomerações produtivas locais. A principal hipótese utilizada é de que a inserção de micro e pequenas empresas (MPEs) em aglomerações produtivas proporcionam vantagens competitivas que potencializam as condições de crescimento e de desempenho. O desenvolvimento das MPEs depende da utilização das vantagens locais, que correspondem ao conjunto das diversas externalidades locais e da capacidade de articulação e negociação dos atores locais em favor da obtenção de ganhos econômicos coletivos. Do ponto de vista teórico e conceitual, tal análise tenta resgatar as diferentes contribuições desenvolvidas pelas abordagens recentes sobre aglomerações produtivas, destacando os elementos analíticos oriundos de cada abordagem, bem como os pontos comuns. Discute também o conceito de Arranjo Produtivo Local (APL), destaca suas características essenciais, bem como enfatiza suas diferenças com outros conceitos que tratam do tema. Com o objetivo de identificar e apontar evidências empíricas a propósito das questões discutidas no plano teórico, o trabalho conta ainda com um estudo de caso de uma experiência de aglomeração de empresas no município de Ilhéus, localizado na região Sul do Estado da Bahia - a aglomeração produtiva do Pólo de Informática de Ilhéus (PII). Com base nesse estudo de caso a dissertação discute as características e funcionalidade dessa aglomeração produtiva a partir da noção de arranjo produtivo local. Após verificar as características de um arranjo e sistema produtivo local e as principais características do PII, chega-se a conclusão que o mesmo pode ser caracterizado apenas como um arranjo produtivo local, devido ao caráter incipiente e frágil das relações de cooperação entre os agentes. Neste caso, o PII não teria propriamente um estatuto de sistema produtivo local. Como o conceito de APL enfatiz apenas a dimensão da cooperação foi preciso recorrer a uma outra dimensão de análise, a concorrência, para entender sua estrutura e padrão de desenvolvimento. Por isso, no final, apresenta-se uma abordagem complementar para a análise do PII, destacando a noção de dinâmica e o processo de concorrência como estímulo ao crescimento das empresas e enfatiza-se a importância da concorrência dentro da metodologia de análise para a abordagem dos APLs.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectPólo de informática de Ilhéuspt_BR
dc.subjectConcorrênciapt_BR
dc.subjectCooperaçãopt_BR
dc.subjectAglomeração produtiva localpt_BR
dc.subjectArranjo produtivo localpt_BR
dc.titleConcorrência e cooperação em arranjos produtivos locais: o caso do pólo de Informática de Ilhéus/Bapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.localpubSalvadorpt_BR
Appears in Collections:Dissertação (PPGECO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Luciano%20Damasceno%20Santos%20seg.pdf675,51 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.