Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/7180
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorQueiroz, Antônio Fernando de Souza-
dc.contributor.authorCruz, Joana Ferreira da-
dc.creatorCruz, Joana Ferreira da-
dc.date.accessioned2012-11-12T19:25:38Z-
dc.date.available2012-11-12T19:25:38Z-
dc.date.issued2012-06-27-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/7180-
dc.description.abstractA eficácia de surfactantes químico e biológico, sozinhos e em conjunto com o fertilizante NPK, no auxílio da biodegradação de petróleo cru foi avaliada em simulações de derrame no mar, realizadas em duas campanhas. A eficácia destes produtos foi determinada pela avaliação da degradação do petróleo ao longo do experimento, através de análises geoquímicas; por análises toxicológicas, através da exposição de copépodos aos tratamentos; e por análises microbiológicas, através do isolamento de fungos e bactérias. Na primeira campanha, as análises geoquímicas mostraram que o tratamento de petróleo em conjunto com biossurfactante apontou maior degradação, indicado pela maior redução percentual (19%) do valor da razão ∑n-alcanos/(Pr+Ph). Na segunda campanha o tratamento contendo biossurfactante e NPK revelou uma diminuição de 30,8% da razão ∑n-alcanos/(Pr+Ph), enquanto o tratamento contendo surfactante químico e NPK revelou uma diminuição de 26,5% da razão ∑n-alcanos/(Pr+Ph). Portanto, os resultados geoquímicos para tratamentos com biossurfactante apontaram maior biodegradação no final dos experimentos. Na primeira campanha os tratamentos não foram tóxicos aos copépodos provavelmente devido às baixas concentrações, entretanto na segunda campanha houve um grande efeito letal no tempo inicial, mas não é possível afirmar o que causou este efeito porque não houve análise da amostra contendo apenas petróleo ao longo do experimento. As análises microbiológicas indicaram que ocorreu aumento do número de fungos em relação às bactérias nos tratamentos contendo apenas biossurfactante e biossurfactante em conjunto com NPK, sugerindo que a maior degradação do óleo nestes tratamentos seja pela ação de fungos. As variações dos parâmetros físico-químicos observados na análise de componentes principais (PCA) podem ter sido vantajosas para o maior desenvolvimento dos fungos. Os resultados deste estudo em escala piloto e nas condições experimentais estabelecidas revelaram que é mais indicado o tratamento utilizando biossurfactante conjuntamente com NPK.pt_BR
dc.description.sponsorshipCAPESpt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.sourcehttp://www.pospetro.geo.ufba.br/dissertacoes/DISSERTA_J%20CRUZ.pdfpt_BR
dc.subjectPetróleopt_BR
dc.subjectderrame de óleopt_BR
dc.subjectdispersante químicopt_BR
dc.subjectbiossurfactantept_BR
dc.subjectbiodegradaçãopt_BR
dc.subjecttoxicidadept_BR
dc.titleAvaliação da eficiência de surfactantes no processo de biodegradação de petróleo bruto em simulações de derrames no marpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.localpubSalvadorpt_BR
dc.contributor.advisor-coTriguis, Jorge Albertopt_BR
Appears in Collections:Dissertação (POSPETRO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTA_J CRUZ.pdfDissertaçao Cruz2,04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.