Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/6811
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCardoso, Suane Coutinho-
dc.contributor.authorSoares, Ana Cristina Fermino-
dc.contributor.authorBrito, Alexsandro dos Santos-
dc.contributor.authorCarvalho, Léa Araújo de-
dc.contributor.authorLedo, Carlos Alberto da Silva-
dc.creatorCardoso, Suane Coutinho-
dc.creatorSoares, Ana Cristina Fermino-
dc.creatorBrito, Alexsandro dos Santos-
dc.creatorCarvalho, Léa Araújo de-
dc.creatorLedo, Carlos Alberto da Silva-
dc.date.accessioned2012-09-26T13:15:17Z-
dc.date.available2012-09-26T13:15:17Z-
dc.date.issued2006-
dc.identifier.issn0006-8705-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/6811-
dc.descriptionp.89-96pt_BR
dc.description.abstractA técnica de enxertia é utilizada em algumas hortaliças, principalmente em áreas infestadas, para atribuir resistência a patógenos do solo, minimizando as perdas de produção de cultivares suscetíveis. Este trabalho teve como objetivo avaliar o desenvolvimento e a produtividade de plantas de tomateiro enxertadas em híbrido, tido como resistente a Ralstonia solanacearum, em comparação a pés-francos. O experimento foi desenvolvido em viveiro (produção de mudas e enxertia) e em céu aberto, no município de Cruz das Almas, Bahia, no período de outubro de 2003 a fevereiro de 2004. Utilizou-se o método de enxertia de fenda cheia, com o híbrido 'Hawaii 7996' como porta-enxerto e as cultivares Santa Clara, Santa Cruz Kada e Débora Plus, suscetíveis a R. solanacearum, como enxerto. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com seis tratamentos (3 enxertados e 3 pés-francos), 5 repetições e 6 plantas por parcela útil. Avaliaram-se os caracteres: diâmetro do caule, altura da planta e da primeira inflorescência, distância entre inflorescências e produtividade comercial de frutos. O desenvolvimento das plantas, a produção total e a massa média dos frutos foram semelhantes para os tratamentos enxertados em relação a seus respectivos pés-francos e não houve incompatibilidade entre porta-enxerto e enxerto. A cultivar Santa Cruz Kada foi mais sensível às condições agroecológicas do município de Cruz das Almas, refletindo negativamente na produção e no peso médio dos frutos. Observou-se na enxertia com o híbrido 'Hawaii 7996' potencial para viabilizar a produção de tomateiros comerciais suscetíveis à murcha bacteriana, em áreas infestadas com R. solanacearum.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherInstituto Agronômicopt_BR
dc.sourcehttp://dx.doi.org/10.1590/S0006-87052006000100012pt_BR
dc.subjectLycopersicon esculentumpt_BR
dc.subjectRalstonia solanacearumpt_BR
dc.subjectEnxertiapt_BR
dc.subjectFenda cheiapt_BR
dc.subjectHawaii 7996pt_BR
dc.titleViabilidade de uso do híbrido Hawaii 7996 como porta-enxerto de cultivares comerciais de tomatept_BR
dc.title.alternativeBragantiapt_BR
dc.typeArtigo de Periódicopt_BR
dc.description.localpubCampinaspt_BR
dc.identifier.numberv. 65, n. 1pt_BR
Appears in Collections:Artigo Publicado em Periódico (Agronomia)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Cardoso, Suane Coutinho.pdf40,21 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.