Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/29748
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Formação do agregado óleo material particulado em suspensão (osa) e dispersão de hpas no estuário do rio são paulo, bahia: uma ferramenta norteadora na prevenção de impactos ecotoxicológicos
Authors: Pinheiro, Samires Moura Malaquias
metadata.dc.creator: Pinheiro, Samires Moura Malaquias
Abstract: As regiões estuarinas são de grande importância para as populações principalmente em função da diversidade de recursos naturais. Possuem grande riqueza ambiental, social e econômica, no entanto ao longo de décadas estão sujeitas aos impactos consequentes das atividades antrópicas. O presente estudo investigou o estuário do rio São Paulo, Baía de Todos os Santos, Bahia, Brasil caracterizando-o biogeoquimicamente e simulando um derramamento de petróleo laboratorial em mesoescala com as águas superficiais do mesmo. O objetivo foi observar a dispersão proporcionada pela formação de agregados óleo material particulado em suspensão (OSAs), a fim de utilizar os dados obtidos como ferramenta norteadora na prevenção de impactos ecotoxicológicos. Os resultados de caracterização apontam que embora a região possua funções ecológicas importantes, encontra-se impactada por atividades antrópicas ligadas às operações das indústrias petrolíferas e de outros segmentos, ocupação inadequada das suas margens e práticas portuárias que ocorrem na Baía de Todos os Santos (BTS). A degradação ocorrida pôde ser caracterizada por valores de oxigênio dissolvido variando entre 2,82 – 6,52 mgL-1 , amônia, nas estações de amostragem 10 a 13 variando entre 1,4- 1,667 mgL-1 , e nitrato, nas estações de amostragem 8, 16 e 17, variando entre 1,032 – 20, 458 mgL-1 , ambos acima dos limites legais (0,70 mg L -1), pela concentração de metais associados ao material particulado em suspensão (MPS), que oferecem riscos aos ecossistemas e por concentrações de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) no MPS de origem antropogênica. Paralelo a isso, os resultados de formação do OSA indicam que as características das águas coletadas na estação P17 foi a que mais dispersou HPAs para a coluna d’agua (566.989,84 µg g -1 ). As características biogeoquímicas que mais influenciaram a formação do OSA foram as concentrações de clorofila a e salinidade. Em termos gerais houve maiores dispersões para a coluna d’agua, potencializando a biodegradação desses compostos pelos organismos hidrocarbonoclásticos, aumentando a ecotoxicidade para os organismos pelágicos, contudo diminuindo os impactos ecotoxicológicos associados a presença de HPAs aos organismos bentônicos. As exceções foram as estações: 2, 4, 7, 8, 14 e 18 que formaram OSA com flutuabilidade negativa e apresentam maiores ricos de impactos ecotoxicológicos para o substrato da região. A partir dos resultados encontrados, é possível sugerir que as áreas das estações de amostragem: 2, 4, 7, 8, 14 e 18 como prioritárias para aplicação de medidas protetivas em caso de acidente de derramamento de petróleo, embora as concentrações de HPAs de acordo com o ERM (NOAA) apresente riscos ecotoxicológicos em toda extensão do estuário. Os estudos de simulação para a formação dos OSAs apresentaram resultados relevantes tanto na previsão da dispersão de HPAs quanto como ferramenta norteadora na prevenção e mitigação de impactos ecotoxicológicos em ambientes estuarinos afetados por hidrocarbonetos
Keywords: poluição
atividades antrópicas
ecotoxicologia
hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs)
metais
efluentes
petróleo
metadata.dc.subject.cnpq: Ciências Exatas e da Terra
metadata.dc.publisher.country: brasil
metadata.dc.publisher.initials: UFBA
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29748
Issue Date: 31-May-2019
Appears in Collections:Dissertação (POSPETRO)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTA_Samires PINHEIRO_revgisele_Final.pdf2,58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.