Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/24474
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira, Giovandro Marcus-
dc.contributor.authorMoura, Clarissa Viana Matos de-
dc.creatorMoura, Clarissa Viana Matos de-
dc.date.accessioned2017-10-31T19:30:11Z-
dc.date.available2017-10-31T19:30:11Z-
dc.date.issued2017-10-31-
dc.date.submitted2014-02-17-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/24474-
dc.description.abstractEste trabalho tem como objetivo analisar a construção discursiva da violência contra a mulher (VCM), a partir de dois sujeitos discursivos de um mesmo emissor - os jornais Massa! e A Tarde, do Grupo A Tarde. Segundo o conceito de semiose, os discursos sociais estão em constantes transformações como parte dos processos histórico, social e cultural. Nesta perspectiva, propomos dois momentos de análise: um estudo diacrônico, observando a evolução discursiva da violência contra as mulheres diante de condições de produção distintas, e uma análise sincrônica que identifica como a questão é construída no cotidiano dos dois jornais, no período de outubro de 2012 a março de 2013, bem em um acontecimento específico – o “Caso New Hit” – que ganhou repercussão no período estudado. O corpus deste estudo é formado por textos jornalísticos – notas, notícias, artigos e reportagens – que abordaram a temática da violência contra a mulher – seja ela física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral, formas de violência definidas a partir da Lei Maria da Penha. Foram utilizados conceitos da análise do discurso como o de dispositivo de enunciação voltado para a análise da relação do suporte com o seu leitorado, uma relação de natureza contratual. A partir do conceito de posicionamento discursivo, foi percebida a inserção do suporte e sua marca num universo de concorrência e suas estratégias de diferenciação. Foi identificada uma transformação nos discursos sobre a violência contra a mulher – que deixou de ser vista como uma questão privada para ser tratada como um problema de interesse público, que merece a formulação e a execução de políticas públicas. Também foram identificadas diferenças na cobertura dos dois sujeitos discursivos do Grupo A Tarde. Por um lado, o Massa! propõe um contrato de cumplicidade e proximidade com os seus leitores no qual as notícias sobre violência – sobretudo a urbana - apresentam centralidade. A questão da VCM é construída sob a lógica dos fait divers – são destacados os seus aspectos grotescos, inusitados ou tratam de casos que envolvem pessoas públicas e celebridades, como o Caso New Hit. A violência contra a mulher também esteve presente nas páginas do A Tarde, que por outro lado, começa a dar abertura às discussões mais aprofundadas sobre a temática, e os crimes específicos foram apresentados de forma articulada à questão como o todo. Entretanto, é o enquadramento que trata a VCM como uma questão particular que ganhou maior visibilidade nas páginas do suporte de referência do Grupo A Tarde – um reflexo das condições de produção do seu discurso, que demonstra que ainda há muito que avançar quando o tema é a cobertura da violência de gênero.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAnálise do discursopt_BR
dc.subjectPosicionamento discursivopt_BR
dc.subjectViolência contra a mulherpt_BR
dc.subjectJornalismopt_BR
dc.titleUm emissor e dois enunciadores: a violência contra a mulher nas páginas de Massa! e A Tardept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.refereesPalacios, Annamaria da Rocha Jatobá-
dc.contributor.refereesNatansohn, Leonor Graciela-
dc.publisher.departamentFaculdade de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.programComunicação e Cultura Contemporâneaspt_BR
dc.publisher.initialsUFBApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.subject.cnpqComunicação e Cultura Contemporâneaspt_BR
Appears in Collections:Dissertação (PÓSCOM)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Clarissa Viana Matos de Moura.pdf17,61 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.