Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/12536
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorOliveira, Maria Aparecida José-
dc.contributor.authorCosta, Maria Auxiliadora de Andrade-
dc.creatorCosta, Maria Auxiliadora de Andrade-
dc.date.accessioned2013-08-09T18:05:50Z-
dc.date.available2013-08-09T18:05:50Z-
dc.date.issued2013-08-09-
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/12536-
dc.description.abstractA preocupação com a introdução e disseminação das espécies exóticas vem aumentando numa escala mundial refletindo-se no aumento dos estudos relacionados aos efeitos das invasões, em função dos prejuízos ecológicos e sócio-econômicos que representam. As invasões biológicas por espécies exóticas podem interferir nos processos ecológicos, promovendo a homogeneização e possíveis alterações na estrutura da comunidade em decorrência da dominância da espécie invasora. Estas alterações abrangem também o banco de plântulas. O estudo foi desenvolvido na APA Lagoas e Dunas do Abaeté, em Salvador, Bahia. Numa área de restinga, domínio Tropical Atlântico, cuja formação vegetacional, heterogênea, é constituída de poucas espécies endêmicas e de espécies exóticas provenientes de outros ecossistemas. Entre as várias espécies exóticas que ocupam a área, encontramos a Terminalia catappa L., Combretaceae, originária da Ásia, que ocupa grande parte do litoral Brasileiro desde os séculos XVI e XVII. Seu porte arbóreo se destaca das formações herbáceo-arbustivas que ocupam a região e sua copa ampla cobre grande parte da superfície do solo. O objetivo principal deste estudo foi avaliar a interação da T. catappa na comunidade da restinga para verificar a ocorrência de modificações nos processos ecológicos básicos. Os objetivos específicos foram descrever a estrutura da comunidade e avaliar a influência da biomassa foliar (serrapilheira) e do sombreamento provenientes da T. catappa no estabelecimento de espécies nativas e no banco de plântulas por meio do plantio de mudas de três espécies nativas e do monitoramento do banco de plântulas, em campo e casa de vegetação, para subsidiar decisões de manejo. A hipótese testada foi que a competição por espaço através dos mecanismos de sombreamento e produção de serrapilheira pode impedir o estabelecimento de espécies nativas e interferir no banco de plântulas. A estrutura e composição da comunidade foram amostradas através de 20 parcelas de 10 X 10m alocadas numa área antropizada no interior da APA. De junho a dezembro de 2009 observou-se a influência da T. catappa sobre a capacidade de regeneração das espécies nativas, através da implantação de 20 sub-parcelas de 2 X 2m onde foi realizado o monitoramento do banco de plântulas, no campo e em casa de vegetação, e o acompanhamento do crescimento de mudas de três espécies nativas, Anacardium occidentale L. (caju), Inga capitata Desv. (ingá) e Schinus terebinthifolia Raddi. (aroeira), sob a relação dos fatores presença ou ausência de luminosidade e serrapilheira. O SPSS v.17 foi o programa utilizado nas análises estatísticas e geração dos gráficos. Considerou-se um p<0,05 como significativo. Na distribuição espacial das espécies da área em estudo foram identificados 277 indivíduos, distribuídos em 16 famílias, 25 gêneros e 25 espécies. A T. catappa representou 62% das espécies encontradas e maior valor de importância (VI), 54,83%, confirmando a sua dominância. Os resultados sugerem que I. capitata (χ²= 6,158; p=0,046) a um nível de 5% de significância apresenta evidências para rejeitar a hipótese de que os fatores investigados não interferem no seu crescimento, ou seja, diferentes condições do serrapilheira e luminosidade afetam o seu crescimento. Mesmo resultado foi encontrado para o crescimento de S. terebinthifolia (χ²= 14; p=0,001) e para quantidade de plântulas no campo (χ²= 14; p=0,001). A composição florística da comunidade e do banco de plântulas informam sobre a pouca capacidade de regeneração da área frente a evidente dominância da T. catappa. Dessa maneira, o monitoramento e conhecimento da ecologia da espécie estudada proporcionarão alternativas para o controle da sua propagação bem como para o seu manejo. Sugere-se o enriquecimento do banco de plântulas com o plantio de espécies nativas o que poderá contribuir para o aumento da diversidade na área.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectAmendoeira - Crescimentopt_BR
dc.subjectPlantas - Efeito da luzpt_BR
dc.subjectÁrvores - Mudaspt_BR
dc.subjectPlantas - Competiçãopt_BR
dc.titleInfluência da população da espécie exótica Terminalia catappa L. (Amendoeira) sobre espécies nativas numa área da Restinga, domínio Tropical Atlântico, Salvador, Bahiapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.localpubSalvadorpt_BR
Appears in Collections:Dissertação (Pós-Ecologia)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Costa_MAA.pdf1,32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.