DSpace

RI UFBA >
Instituto de Psicologia >
Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPSI) >
Teses de Doutorado (PPGPSI) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32442

Title: Tensões subjetivas e culturais na experiência identitária de ser um/a estudante universitário/a negro/a: a emergência de um Self Decolonial
Authors: Teixeira, Adrielle de Matos Borges
???metadata.dc.contributor.advisor???: Dazzani, Maria Virgínia Machado
Keywords: Estudantes Negros - Brasil;Experiências Universitárias;Processos de Subjetivação;Self Decolonial;Psicologia do desenvolvimento;Educação - Subjetividade
Issue Date: 25-Nov-2020
Abstract: Esta pesquisa teve como foco as experiências vividas pelos estudantes negros na universidade e as suas relações com o desenvolvimento psicológico. Seu propósito foi propiciar uma discussão que ultrapassasse a comparação de desempenho acadêmico entre estudantes cotistas e não cotistas, abrangendo as implicações do vivido em um contexto marcado pelo racismo estrutural nos processos de subjetivação da pessoa negra. Deste modo, seu objetivo geral foi analisar como estudantes negros negociam significações na construção do self nas suas trajetórias universitárias. Para tanto, teve como objetivos específicos: 1) Conhecer como os estudantes negros universitários compreendem suas experiências identitárias raciais e a participação das vivências universitárias nesta compreensão; 2) Analisar como estudantes negros universitários se relacionam com as múltiplas vozes que participam do seu processo acadêmico-universitário e; 3) Identificar os recursos simbólicos e sociais utilizados por estudantes negros para enfrentar dificuldades encontradas nas suas trajetórias universitárias. Compreendendo que os processos de escolarização influenciam nos modos de subjetivação e constituição de si, esta pesquisa baseou-se na tese de que as experiências universitárias podem ensejar processos de transformação na compreensão que o estudante negro(a) possui sobre sua própria experiência identitária racial. Estes processos, por sua vez, relacionam-se com novas (re)construções semióticas e novos posicionamentos de si. Adotando como referencial teórico a Teoria do Self Dialógico e a perspectiva da Psicologia Cultural Semiótica, realizou-se um estudo de natureza qualitativa, a partir de três estudos de caso, utilizando como instrumento a entrevista narrativa. As participantes foram estudantes autodeclaradas negras, matriculadas em universidades públicas de Salvador/BA. A partir do material empírico analisado e considerando que o Self, da forma como é compreendido pelas teorias euro-ocidentais (predominantes na Psicologia), não contempla as especificidades de desenvolvimento psicológico daqueles que não correspondem ao padrão de ser humano universal adotado por elas, foi proposta a elaboração de um construto teórico que considere as especificidades de desenvolvimento da pessoa negra, a saber: o Self Decolonial, isto é, um Self que, sendo dialógico, emerge quando a pessoa negra, imersa em uma semiosfera marcadamente racista, acessa, interage e dialoga com discursos e experiências contra-hegemônicos (seja através de estudos teóricos, seja através do contato com pessoas e contextos), desencadeando novas configurações subjetivas que levarão à uma nova experiência identitária racial.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32442
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGPSI)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
tese - versão definitiva com ficha catalográfica.pdf2.25 MBAdobe PDFView/Open
tese - versão definitiva com ficha catalográfica.pdf2.25 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA