DSpace

RI UFBA >
Escola de Administração >
Núcleo de Pós-Graduação em Administração (NPGA) >
Dissertações de Mestrado Acadêmico (NPGA) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32154

Title: Validação da escala medo de ser enganado para o contexto brasileiro
Authors: Netto, Anna Luisa Abreu
???metadata.dc.contributor.advisor???: Bruni, Adriano Leal
Keywords: Medo de ser enganado;Comportamento do consumidor;Validade;Confiabilidade
Issue Date: 25-Aug-2020
Abstract: Nos processos de compra, há, frequentemente, um risco de que consumidores sejam enganados por vendedores que se beneficiem do ato e tenham a oportunidade para tanto. Os consumidores lidam com este risco de formas diferentes. Enquanto alguns consumidores vão agir com constante vigilância e ceticismo para evitar serem enganados, outros vão se comportar com maior tranquilidade no ambiente de compra e vão confiar nas informações dadas pelos vendedores. Esta diferença, corroborada teoricamente pela literatura, sugere que o medo de ser enganado é um traço de personalidade, que pode ser medido por meio de uma escala. Seguindo esta linha, o presente estudo teve por objetivo validar a Escala Medo de Ser Enganado (EMSE) para o contexto brasileiro. Os procedimentos metodológicos foram divididos em duas fases. Na primeira fase, foi feita a tradução e adaptação da escala, envolvendo os seguintes estágios: traduções, síntese das traduções, tradução reversa, análise por comitê preliminar, pré-teste da versão preliminar e elaboração da versão final por comitê de especialistas. A segunda fase consistiu na análise psicométrica da escala traduzida. Uma amostra de 230 indivíduos, não probabilística, utilizando a técnica de bola de neve por meio de redes sociais, foi coletada. Os resultados da análise apontaram que a EMSE possui: uma adequada consistência interna, considerando o cálculo do Alfa de Cronbach; validade convergente, existindo correlação entre a subescala Preço, que é parte da escala do Sentimento do Consumidor frente ao Marketing de Gaski e Etzel, e a EMSE; validade discriminante, inexistindo correlação entre a escala Ceticismo frente à Propaganda de Obermiller e Spangenberg e a EMSE; e validade fatorial, verificado por meio da Análise Fatorial Confirmatória, confirmando a adequação do modelo bidimensional (Proteção de Recursos e Proteção de Status), com quatro itens em cada dimensão. A segunda amostra, coletada para verificação da estabilidade da escala, foi composta por 45 estudantes de duas turmas de graduação da Universidade Federal da Bahia e foi coletada em dois tempos, separados por quinze dias. A análise da correlação de teste-reteste mostrou que a EMSE possui uma boa estabilidade. Diante destes resultados, a Escala Medo de Ser Enganado, traduzida e adaptada para o português, apresentou confiabilidade e validade de construto, indicando que há fortes evidências de adequação do instrumento para futuras pesquisas no Brasil.
The risk of being cheated by sellers is usual in purchasing processes, especially when there are benefits in cheating and opportunities for it. Consumers deal with the possibility of being cheated in different ways. While some consumers act with constant vigilance and skepticism to avoid being cheated, others have a more relaxed behavior in the buying process and will rely on sellers’ information. This difference is corroborated by the literature suggesting that the fear of being duped is a personality trait, which can be measured by a scale. Therefore, the present study aims to validate the Fear of Duping Scale (FODS) in the Brazilian context. The methodological procedures were divided in two phases. In the first phase, the scale’s translation and adaptation followed six stages: translations, translations synthesis, backtranslations, preliminary committee analysis, pre-test and experts committee. The second phase consisted in the psychometric analysis of the translated scale. Data from a non-probabilistic sample of 230 individuals, using snowball technique through social network, was collected. The analysis indicated that the translated FODS had: adequate internal consistency, considering Cronbach's Alpha coefficient; convergent validity between FODS and Price subscale, from Gaski and Etzel’s Index of Consumer Sentiment toward Marketing scale; discriminant validity, verified by a pour correlation between FODS and Obermiller and Spangenberg’s Advertising Skepticism Scale; and factorial validity, verified through Confirmatory Factor Analysis, which showed the two-dimensional model adequacy (Resource Protection and Status Protection), with four items in each dimension. In a second sample, 45 college students from Federal University of Bahia were exposed to the same scale twice within fifteen days. The test-retest demonstrated that FODS showed a good stability. Given these results, the Brazilian Fear of Duping Scale (Escala Medo de Ser Enganado - EMSE) presented reliability and construct validity, indicating a strong evidence of instrument adequacy for research in Brazil.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32154
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado Acadêmico (NPGA)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Ana Luisa Abreu Netto.pdf1.75 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA