DSpace

RI UFBA >
Instituto de Psicologia >
Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPSI) >
Dissertações de Mestrado (PPGPSI) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30648

Title: Fatores associados à percepção de baixa afetividade nas relações familiares de idosos
Authors: Silva, Laila Lorena Nogueira Batista
???metadata.dc.contributor.advisor???: Rabelo, Dóris Firmino
Keywords: Relações familiares;Saúde do idoso;Capacidade funcional;Seletividade Socioemocional
Issue Date: 16-Sep-2019
Abstract: O objetivo foi investigar se há associação entre a percepção de baixa afetividade nos relacionamentos familiares de idosos com a faixa etária, o sexo e as condições de saúde física e psicológica. Participaram 134 idosos na cidade de Santo Antônio de Jesus, no interior do Estado da Bahia, e os dados foram coletados no domicílio, utilizando-se os instrumentos: Questionário de Informações sociodemográficas; Questionário de doenças e de sinais e sintomas autorrelatados; Índice de Independência nas Atividades de Vida Diária; Desempenho de atividades instrumentais de vida diária; Escala de Depressão Geriátrica; Inventário de Ansiedade de Beck e Familiograma. A análise estatística foi feita com o IBM SPSS Statistics, utilizando os teste qui-quadrado ou o teste de Exato de Fisher para comparar as variáveis categóricas e a análise de regressão logística univariada e multivariada, com critério Stepwise de seleção de variáveis (p<0,05). Os resultados mostraram maior frequência de idosos mais jovens, com idade entre 60 a 74 anos (p=0,003) e de idosos com dependência nas atividades básicas com percepção de baixa afetividade p=0,045). Os idosos com maior risco de relatarem baixa afetividade foram: os mais jovens (risco 14.0 vezes maior nos idosos de 60 a 74 anos) e os com dependência em atividades instrumentais de vida diária (risco 4.3 vezes maior). Este estudo mostrou que a faixa etária e a capacidade funcional se apresentam como fatores de risco para a percepção de baixa afetividade, o que pode implicar na qualidade nas relações familiares.
The objective was to investigate the association between the perception of low affectivity in the family relations of the elderly with the age group, gender and physical and psychological health conditions. 134 elderly people from the interior of Bahia participated and the data were collected at home, using the following instruments: Sociodemographic Information Questionnaire; Questionnaire on diseases and self-reported signs and symptoms; Index of Independence in Daily Life Activities; Performing instrumental activities of daily living; Geriatric Depression Scale; Beck's Anxiety Inventory and Familiogram. Statistical analysis was performed using IBM SPSS Statistics using the chi-square test or Fisher's exact test to compare categorical variables and univariate and multivariate logistic regression analysis using the Stepwise criterion of variable selection (p < 0.05). The results showed a higher frequency of younger individuals, aged between 60 and 74 years (p = 0.003) and elderly individuals with dependence on basic activities with low affectivity perception (p = 0.045). The elderly with the highest risk of low affective reporting were: younger (14.0 times higher risk in the elderly from 60 to 74 years) and those with instrumental activities of daily living (risk 4.3 times higher). This study showed that the age group and the dependence of activities of daily living may present as risk factors for the perception of low affectivity, which it can imply quality in family relationships
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30648
ISSN: Dissertação
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGPSI)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação final completa.pdf1.09 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA