DSpace

RI UFBA >
Reitoria da UFBA >
Comissão Permanente de Arquivo (CParq) >
Base Dados Digitais Patrimônio Artístico e Cultural da Ufba (CParq) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30603

Title: Prof. Antelófio B F de Carvalho
Authors: Sem, indentificação
Editors: B F de Carvalho, Antelófio
Keywords: Prof. Antelófio B F de Carvalho;Óleo s/ Tela
Issue Date:  1
Abstract: Mais conhecido como Anfilófio de Carvalho, (Salvador, 16 de julho de 1850 — Rio de Janeiro, 15 de novembro de 1903) foi um magistrado, abolicionista e político brasileiro que presidiu a província de Alagoas, de 7 de outubro de 1885 a 26 de março de 1886 e também foi ministro do Supremo Tribunal Federal.
Description: Deu início à sua carreira jurídica no ministério público, nomeado Promotor na comarca de Santo Amaro. Ingressou na magistratura em 1871, como juiz municipal e de órfãos de Feira de Santana; quatro anos depois era feito juiz de direito de Xique-Xique, servindo ainda em Monte Santo, ainda na Bahia, e depois em Areias (São Paulo), São João da Barra (Rio de Janeiro) e finalmente na cidade natal, onde ocupou a 2ª Vara Cível da capital baiana entre 17 de abril de 1886 a 5 de maio do ano seguinte. Transferiu-se, a pedido, para a Vara Comercial, em 1887. Foi deputado provincial pelo Partido Conservador, entre 1873-1877, ano em que ocupa a função de Chefe de Polícia, Nomeado presidente provincial de Alagoas em setembro de 1885, ocupou o cargo até fevereiro de 1886, quando retorna à capital baiana. Foi Deputado Federal Constituinte, em 1891, quando manifestou-se pela liberdade religiosa e separação entre estado e a Igreja, apesar de professar a fé católica: "Sou católico, apostólico romano (...) Creio em todos os dogmas definidos pela Santa Sé, creio em todas as verdades reveladas, aceito todos os sacramentos instituídos pela autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo; mas assim como quero que a minha Igreja seja colocada em perfeita igualdade com as demais confissões, assim também não admito que contra ela se estabeleça , em nome da liberdade de consciência, um sistema de exceção, de negação daquela mesma liberdade de consciência [...] quero, em suma, um regime de direito comum e plena liberdade religiosa", uma postura que foi combatida pela entidade religiosa, cujos membros conservadores defendiam a manutenção dos privilégios de fé oficial. Renunciou em razão de sua nomeação para o STF.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/30603
Appears in Collections:Base Dados Digitais Patrimônio Artístico e Cultural da Ufba (CParq)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
27.jpg46.58 kBJPEGView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA