DSpace

RI UFBA >
Escola de Belas Artes >
Outros (EBA) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29434

Title: Revista Miolo
Authors: Correia, Zulmira
Link, Inês
Steele, Daniela
HD, May
Figrueredo, Adriel
Cunha, Lia
PJ, Fernando
Roza, Flávia
Rocha, Zé
Rezende, Felipe
Castro, Laura
Amapagu, Amapagu
Editors: Aguiar, Taygoara
Roza, Flavia
Cintra, Thaíse
Machado, Bernardo
Rodrigues, Tarcisio
Tarrafa, Maria
Correia, Zulmira
Issue Date: 16-Oct-2018
Publisher: Tiragem: laboratório de livros/EBA/UFBA
Citation: Revista Miolo, Salvador, vI, n.I, Salvador, 2018.
Abstract: A Miolo aterrissa no enorme espaço vazio deixado pela descontinuidade das já poucas revistas acadêmicas de arte e design de Salvador, e se instaura no terreno pouco explorado das quase inexistentes publicações não acadêmicas soteropolitanas voltadas para estas áreas do conhecimento. Surge da vontade de estudantes do curso de Design da Escola de Belas Artes da UFBA (EBA-UFBA) de experimentar, na prática, os princípios do design gráfico aplicados na produção de revistas e outras publicações periódicas. Organizados como o Núcleo de Design Editorial (NUDE), foram estes estudantes que lançaram a proposta de uma revista produzida por eles na Escola de Belas Artes. Esta proposta foi acolhida como uma variação do projeto Tiragem: Laboratório de Livros, um coletivo de professores, estudantes da UFBA e ex-alunos da Escola de Belas Artes que já flertavam há tempos com a ideia de expandir a sua linha editorial, focada em livros de artista, para o campo dos periódicos e outras publicações
Description: Para a definição do tema gerador deste primeiro número, partimos da taxonomia proposta por Paulo Silveira (2000) para a classificação dos livros de artista, na qual o autor insere-os entre dois extremos, ternura e injúria. O primeira refere-se à aceitação e à dependência do fetiche pelas manifestações tradicionais do livro e a narrativa linear; a última é a afronta à permanência da tradição, a violação da ordem da narrativa e da verdade e a negação ao fetiche pelo objeto livro. Tomamos emprestados esses princípios para ampliar a discussão sobre o conceito da palavra/matéria “papel”, associando a ternura ao universo do design, impressões artesanais, gravuras, tipografias e projetos editoriais. Na injúria estariam inseridas formas mais subversivas e questionadoras, que utilizam, ou não, outros “papéis” como suporte, a exemplo dos livros de artista, os fanzines, o grafite, os lambe-lambes e outras intervenções do gênero. Para além da ternura e a injúria, paralelamente, trazemos para a discussão a imaterialidade e suas relações, diretas e indiretas, com o mundo palpável. Presente no âmbito das infogravuras, por exemplo, estas relações são apresentadas neste volume em projetos intermídias, como as rotoscopias analógicas, as ideias expressas no conjunto expográfico da mostra É Tudo design?, e na busca pela preservação e memória, por vias analógicas e digitais, presentes nas matérias sobre a artista Maria Adair, a pesquisa poética da Sociedade da Prensa e sobre a proposta acadêmica do Repositório da UFBA. Diante das reviravoltas tão caras ao processo criativo e ainda mais comuns nas “primeiras vezes”, a equipe da TIRAGEM e do NUDE propuseram para esta edição da MIOLO o tema “Papel: ternura, injúria e imaterialidade”. Este tema, que foi amadurecendo desde a primeira proposta trazida ainda no início da empreitada, teve como objetivo servir de convite a uma reflexão acerca do papel como suporte para a produção artística e literária. Com o intuito de organizar as ideias (ou gerar um pouco mais de confusão) sobre as estratégias de produção e difusão das propostas artísticas contemporâneas, o papel aqui é colocado como símbolo para as questões relacionadas ao suporte, seja ele tradicional ou não convencional; físico ou impalpável. Em resumo, nesta primeira MIOLO, a palavra papel foi o mote que nos fez refletir, por livre associação, sobre como o suporte (ou a ausência dele) dialoga tanto com os princípios estético-formais da arte e do design, quanto com a tradição e a contemporaneidade, no que tange a construção social, o registro e a memória. Neste sentido, aproveitando o embalo das comemorações dos 140 anos da Escola de Belas Artes, nada mais coerente do que iniciar a revista com uma matéria em homenagem ao artista Eduardo França dos Reis, o Mestre Duda, xilogravurista que aprendeu com os grandes mestres da Escola Baiana de Gravura, e ainda hoje honra a toda a comunidade da Escola de Belas Artes ao utilizar diariamente a sala de gravura da instituição como seu ateliê. Todo o percurso de aprendizado que percorremos para a revista chegar até você foi a nossa recompensa; a de vocês é a primeira edição da revista MIOLO. Esperamos que gostem!
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/29434
ISSN: 2595-8070
Appears in Collections:Outros (EBA)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
miolo_07.10.2018(interativo)144Alta.pdf6.02 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA